Como montar um pet shop?

Artigos do mundo pet dstribuidos em cima de um fundo amarelo
9 minutos para ler

Afinal, como montar um pet shop? Ou o que precisa para abrir um pet shop do zero? Essas são dúvidas comuns entre as pessoas que gostam de animais e viram no mercado pet uma oportunidade para empreender.

E não é à toa: atualmente, o Brasil é o segundo maior mercado de pet shop do mundo (5,2%), atrás somente dos Estados Unidos (40,2%). 

Além disso, segundo estimativas do Instituto Pet Brasil, esse segmento movimentou cerca de R$46,5 bilhões apenas no primeiro trimestre de 2021, um crescimento de 13,8% em relação ao ano anterior.

A princípio, trata-se de uma área altamente lucrativa para empreender. Se você quer saber como abrir um pet shop de forma assertiva e encontrar o seu diferencial, acompanhe o artigo que preparamos abaixo. Boa leitura!

Quais produtos vender no petshop?

Não é novidade o quanto os tutores movem montanhas pela saúde e bem estar dos seus bichinhos de estimação. 

Por isso, eles são capazes de investir pesado em produtos de pet shop de alta qualidade, desde rações premium e roupinhas para o frio até hidratantes e pacotes de banho e tosa.

Nesse sentido, antes de montar um pet shop, é fundamental saber quais produtos você pretende oferecer para satisfazer seu público-alvo.

O ideal é focar em mercadorias para setores como alimentação, higiene, lazer, habitação e vestuário. Assim, entre alguns produtos comuns para vender no seu petshop, podemos destacar: 

  • Alimentação – Petiscos e rações para todas as espécies, tamanhos e condições;
  • Higiene e limpeza – Xampus, condicionadores, hidratantes, sabonetes, perfumes, tapetes higiênicos e fraldas;
  • Medicações básicas – Antibióticos, anti-inflamatórios, anti-pulgas, vacinas, vitaminas e vermífugos;
  • Vestuário – Roupinhas e acessórios;
  • Lazer – Brinquedos e agrados (bolinhas, ossos, túneis, etc.);
  • Habitação – Camas, casinhas, cobertores, caixas para transporte, entre outros;

Em síntese, o importante é comprar uma quantidade adequada ao tamanho da carteira de clientes e escolher os tipos de produtos que são mais consumidos por eles. Dessa forma, você consegue vender e evita produtos parados no estoque.

Além disso, você também pode oferecer serviços no seu pet shop como:

  • Banho e tosa;
  • Hotel para pets;
  • Creche;
  • Dog walker;
  • Atendimento veterinário;
  • Pet móvel;
  • SPA;
  • Adestramento;

Assim, a recomendação é oferecer produtos e serviços diversos, além de opções que tragam mais conforto e praticidade aos clientes. 

Entre alguns exemplos temos o transporte de animais e o pet shop móvel, que tem o propósito de atender os animais em suas próprias residências, sem deslocamentos estressantes.

Leia mais: Guia do profissional: pet sitter

Passo a passo como montar um pet shop

1- Faça um bom plano de negócios

O primeiro passo para montar um pet shop é elaborar um plano de negócios. Esse documento serve como um guia, já que descreve os objetivos do pet shop e quais ações devem ser realizadas para que eles sejam alcançados.

Em suma, um plano de negócios do seu pet shop deve trazer algumas informações importantes como:

  • Missão do pet shop;
  • Local onde será aberto;
  • Orçamento inicial;
  • Capital de giro necessário;
  • Equipamentos e produtos para iniciar;
  • Quem são os concorrentes;
  • Características do público-alvo;

Com essas informações bem estruturadas e claras, ficará mais fácil administrar o negócio e fazê-lo andar com as próprias pernas. Afinal, você saberá tudo o que precisa para enfrentar os desafios iniciais de empreender.

Leia mais: Saiba qual a importância do plano de negócios

2- Defina seu público-alvo

Outro ponto decisivo na hora de abrir um pet shop é a definição do público-alvo. E não pense que a resposta é simplesmente “todo mundo tem um animal de estimação”, é necessário ir muito além disso.

Um cachorro no primeiro plano com pessoas e artigos animais no fundo, de forma borrada.

Assim como existem diversos tipos de pessoas, temos muitas espécies e raças de animais de estimação. Além disso, dependendo do público que você deseja atender, alguns produtos e serviços podem ser mais interessantes para atraí-lo.

Nesse sentido, a dica é se fazer algumas perguntas como:

  • Quais animais você irá atender? (cães, gatos, aves, cavalos, etc);
  • Qual o porte dos animais? Grande, médio ou pequeno?
  • Quais serviços pretende oferecer?
  • Você vai focar mais em serviços ou mais na venda de produtos?

A partir das respostas, você saberá qual é seu perfil de cliente e em que ações poderá investir com melhor retorno. Vale, ainda, captar informações mais detalhadas sobre os clientes, como faixa etária, preferências e gostos pessoais para descobrir como fidelizá-los.

3- Tenha um planejamento financeiro

Depois de definir o seu público, chegou a hora de fazer o planejamento financeiro do pet shop. Esse instrumento vai ajudar a visualizar quanto de dinheiro você tem disponível e onde deverá aplicar para alcançar seus objetivos de negócio.

Por isso, coloque no papel tudo o que você possui de investimento – seja próprio ou oriundo do bolso de outras pessoas – e avalie como ele será utilizado. 

Também enumere as principais dificuldades financeiras que você possa vir a enfrentar, como um aumento repentino no preço dos fornecedores ou uma queda na demanda por serviços de banho e tosa, por exemplo.

Trabalhe com cenários otimistas, realistas e pessimistas e estipule ações para cada um deles. Dessa forma, será possível ficar por dentro da real situação econômica do pet shop, tomar decisões mais estratégicas e organizar metas financeiras para o futuro. 

Leia mais: Saiba qual é a maneira correta de fazer planejamento financeiro. Entenda:

4- Garanta a regularização do seu pet shop

Para que seu pet shop entre no mercado regularizado, será necessário realizar alguns procedimentos burocráticos diante de órgãos municipais, estaduais e federais. 

Por exemplo, existe o que chamamos de “consulta prévia de local”, uma etapa em que o empreendedor deve entrar em contato com a Prefeitura da cidade para verificar se é permitida a realização de determinada atividade no local escolhido para a abertura do negócio.

Mas também será necessário fazer outros procedimentos como:

  • Elaboração e registro do Contrato Social na Junta Comercial;
  • Escolha das CNAEs para pet shop;
  • Obtenção das licenças e alvarás;
  • Cadastro no INSS;
  • Solicitação do CNPJ;

Obter um alvará de licença e vistoria do Corpo de Bombeiros é fundamental na hora de abrir um pet shop, já que esse documento garante que as atividades poderão ser desenvolvidas com total segurança no local escolhido.

A dica é buscar o auxílio de uma contabilidade especializada para cuidar dessas etapas burocráticas e respirar com tranquilidade desde o começo. Um contador conhece todas as exigências legais, normas e decretos, logo não haverá riscos de pagar multas por descumprimento.

5- Invista em marketing digital para atrair clientes

Você sabia que 70% da população brasileira está na internet, o que equivale a mais de 126 milhões de usuários? Ou então que o Brasil está entre os países que mais utilizam as redes sociais no mundo, com média diária de até 212 minutos? 

Nesse sentido, vale a pena explorar o potencial das redes sociais e da internet como um todo e investir em marketing digital para divulgar seu pet shop. Descubra as redes sociais mais utilizadas pelo seu público e comece a trabalhar a presença digital.

Dá para postar fotos dos animais de estimação depois do banho e tosa, dar dicas para os tutores de como melhorar a saúde dos pets e muito mais. Todas essas ações vão ajudar a aumentar a visibilidade do pet shop e conquistar novos clientes.

Leia mais: MEI: Como entrar em marketing digital?

Afinal, quanto preciso investir para abrir um pet shop?

O valor de investimento depende de fatores como o tamanho do pet shop que o empreendedor deseja abrir e o local de abertura, já que cada cidade/estado possui taxas com valores específicos.

Em linhas gerais, entre algumas taxas de abertura temos:

  • Taxa de registro do contrato social da empresa na Junta Comercial;
  • Taxa do Alvará de funcionamento na Prefeitura;
  • Taxa da emissão do Certificado Digital para emissão de notas fiscais eletrônicas;

Além de pagar essas taxas, será necessário separar recursos para o aluguel do espaço, compra e instalação de equipamentos, produtos para o primeiro estoque e contratação de colaboradores. 

Nesse sentido, segundo o Sebrae, a estimativa de investimento para um pet shop de pequeno porte, montado em uma área de 60 m², é de cerca de R$45 mil, sem incluir o aluguel. 

Esse número contempla um carro utilitário no valor de R$20 mil para o transporte de pets, além de máquinas de tosa, secadores, desktops, entre outros.

Mas também é possível começar com baixo investimento se formalizando como MEI (microempreendedor individual), modelo que possibilita menos burocracias e a contratação de um funcionário para ajudar.  

Em suma, a dica é fazer um bom plano de negócios e ter na ponta do lápis quanto de dinheiro será necessário para dar o pontapé inicial e manter as atividades a partir disso. Esse documento é que dará o valor exato de quanto você precisará investir para abrir seu próprio pet shop!

Agora que você já sabe como montar um pet shop e quais as etapas envolvidas nesse processo, esperamos que tenha mais segurança para empreender no segmento. 

A verdade é que o mercado pet é tão promissor quanto concorrido. Por isso, se você deseja ganhar reconhecimento e conquistar novos clientes, indicamos divulgar seus serviços no GetNinjas, a maior plataforma de serviços do Brasil. 

Por outro lado, se estiver procurando um bom pet shop para levar o seu animalzinho, acesse o GetNinjas e conheça os melhores profissionais perto de você!

Você também pode gostar

Deixe um comentário