O que é startup e como montar uma?

9 minutos para ler

Startups surgiram com tudo e se você já ouviu falar, mas não sabe exatamente o que é, muito menos como montar uma, chegou ao lugar certo.

Aqui você vai ver que as startups são empresas com um modelo de negócio específico vinculado a algumas características. Vai entender que elas podem ser abertas em diferentes formatos, que atuam em certos nichos e que fazem sucesso em alguns segmentos específicos.

Por fim, você vai conferir dicas do que levar em consideração na abertura de uma startup, para além do procedimento padrão necessário para a formalização de uma empresa.

O que é startup?

Uma startup é um modelo de negócios que tem como principal objetivo oferecer uma solução inovadora para um problema antigo. Startup significa começar algo, por isso, o vínculo direto com inovação, com a criação de algo novo.  

A maioria das inovações, ou novas maneiras de solucionar problemas, não vieram de insights ou passes de mágica, como a teoria da gravidade que foi formulada por Newton depois de uma maçã cair em sua cabeça. Insights do tipo acontecem, mas não podemos esperar por eles. O que podemos fazer é prestar atenção ao que está acontecendo no mercado, principalmente ao que está faltando, para que as pessoas possam obter ou consumir o que precisam ou desejam. 

É deste tipo de solução e modelo de negócios que estamos falando quando mencionamos startups de sucesso, como:

  • Nubank
  • 5º Andar
  • Uber
  • Netflix
  • PayPal
  • LinkedIn
  • YouTube
  • iFood

Com certeza você utiliza o serviço oferecido por uma ou mais de uma dessas startups, certo?

Sabe dizer o que elas têm em comum para serem chamadas de startups?

Em primeiro lugar, todas oferecem um novo modelo de negócio que surgiu de uma ideia diferente com potencial de lucros. Praticamente todas as startups estão alocadas no espaço da Internet. 

Isso não é uma regra, mas como uma startup se define por dar conta de algo que ainda nem foi pensado, como se estivesse prevendo as necessidades do futuro, nada mais natural do que utilizar a tecnologia como principal meio de funcionamento. Afinal, o mercado está cada vez mais digital. 

A seguir, você vai entender mais sobre os modelos de startups e suas principais características, a de ser um modelo escalável, repetível e inserido em um cenário de incertezas. 

Modelos de startup

Apesar de oferecer soluções novas e ter uma denominação que tende a nos direcionar para além de qualquer tipo de instituição com suas regras, uma startup ainda é uma empresa e só assim pode ser constituída.

Isso quer dizer que qualquer empresa com soluções inovadoras pode ser considerada uma startup? Não.

Diferentemente de empresas mais tradicionais, o foco de uma startup está no valor da solução oferecida e na rentabilidade que advém de oferecer ao cliente exatamente o que ele esperava e até sonhava receber.

Ou você acha que a Netflix oferece apenas um catálogo de produtos por um preço muito acessível? Nada disso. A Netflix oferece múltiplas opções de entretenimento a qualquer hora e em qualquer lugar. 

É aí que entra a noção de valor, diretamente amarrada à ideia de modelo de negócio. Mas, para chegar onde chegou, valendo bilhões de dólares, a Netflix passou de um delivery de DVDs para uma plataforma online que funciona via streaming. Teve que investir no que estava surgindo em termos de tecnologia e acreditar que daria certo, com uma boa visão do futuro. 

Mas o que podemos dizer desse modelo de negócios inovador?

Cenário de incertezas

Como dito no início do texto, nada garante que o negócio vai dar certo, porque se trata de algo novo. Uma startup está dentro de um cenário de incertezas. Por isso, é importante ter um capital de risco para a manutenção do negócio até ter certeza de que há um nicho no mercado para este modelo e que seu crescimento é, de fato, viável. 

Uma forma de verificar a sustentabilidade de uma startup é pelo produto mínimo viável, conhecido como MVP. É uma estratégia de lançamento da solução a um número reduzido de pessoas para avaliar sua aceitação e modificar o que for preciso para fazer o lançamento em larga escala, sem gastar muito dinheiro de cara.

Duas características são essenciais ao sucesso de uma startup, ser escalável e repetível.

Escalável e repetível

Ser escalável significa ter condições de gerar lucro, sem necessidade de investimentos na mesma proporção ou mudança no seu modelo de negócio. Ser repetível significa ser capaz de entregar a mesma solução para um número ilimitado de cliente. 

Isso é muito vantajoso quando pensamos nas soluções ofertadas por meio da tecnologia: grande número de clientes e geração rápida de lucro. 

A Netflix é um bom exemplo disso. Não há um número limitado de clientes para adquirir os planos disponíveis. Por serem planos com valores mensais muito acessíveis, o capital de entrada é garantido todos os meses. Com isso, todo mundo sai ganhando e a tendência é o aumento de clientes.

Quais negócios podem abrir startups?

As startups podem ser abertas em 3 tipos de negócios, caracterizados de acordo com o público atendido.

  • B2B: Sigla que significa negócios para negócios, este tipo de startup atende outras empresas. Exemplos são os serviços corporativos.
  • B2C: Negócios para consumidores, são as startups que oferecem soluções diretamente aos consumidores. 
  • B2B2C: Negócios para negócios para consumidores, são as startups que fazem a mediação entre empresas e clientes. Talvez o exemplo mais conhecido seja o do iFood, que faz parceria com restaurantes, bares, mercados e afins para ajudar na venda direta aos consumidores. 

Também são pensadas conforme o nicho de atuação, de acordo com a área da empresa. 

FinTechs e EdTechs

Você já ouviu falar em FinTechs? E em EdTechs? Esses termos denominam os ramos de atuação de startups na área financeira e na área de educação, respectivamente.

Tendo isso em vista, conheça alguns negócios que tem tudo a ver com startups:

  • Terceirização de atividades 
  • Aplicativos para celulares e outros dispositivos tecnológicos
  • Soluções para área da saúde, como aplicativos direcionados aos idosos ou a pessoas com comorbidades
  • Serviços de conveniência
  • Novas redes sociais ou ferramentas de comunicação
  • Negócios ligados à economia solidária
  • Negócios voltados à preservação do meio ambiente

Enfim, há inúmeras possibilidades. O mais importante é ter uma boa ideia, para, depois, fazer dela um modelo de negócio repetível e escalável em um nicho promissor. Sem medo de arriscar, tendo noção dos limites e do investimento necessário.

O que é preciso para abrir uma startup?

Para abrir uma startup, é necessário seguir o mesmo procedimento da abertura de qualquer empresa:

  • Fazer um contrato social
  • Escolher o modelo societário
  • Entrar com a solicitação na Junta Comercial
  • Obter o CNPJ, a Inscrição Estadual e a Inscrição Municipal

O ideal é chamar um contador para te ajudar no que é da ordem mais burocrática. 

Mas, como vimos, abrir uma startup com boas chances de sucesso envolve muito mais do que isso. 

Dicas para criar uma startup com chances de sucesso

Uma das características da startup é a inovação. Neste sentido, não há como ter certeza de que a solução proposta vai vingar, nem garantir sucesso no empreendimento. No entanto, colhemos algumas dicas para te ajudar a criar uma startup com boas chances de sucesso.

Abrir uma startup envolve dedicação, autonomia e ter coragem para assumir o risco, o que não difere muito do perfil do empreendedor de sucesso. A diferença está no modelo de negócio, como já vimos.

Desenvolva sua ideia

Conheça o mercado, seus concorrentes, necessidades, gaps, apoiadores. Troque ideias, participe de eventos. Avalie suas competências e capacidades de execução.

Valide sua ideia 

Mostre sua ideia a possíveis consumidores, veja o que eles acham. A validação serve para verificar se sua solução é, de fato, interessante, além de abrir tua cabeça para outras possibilidades.

Construa um time e faça um acordo entre sócios

Como ninguém faz nada sozinho, é importante se juntar àqueles profissionais com habilidades e competências complementares às suas. Use as redes ou eventos para encontrar pessoas interessantes e que possam trabalhar em sintonia. Uma relação de confiança é necessária. Entre sócios, é fundamental um contrato social, em caso de desentendimento.

Teste seu modelo

Lembra do MVP? Pois é aqui que ele entra. Há várias maneiras de testar seu produto ou solução. O que importa aqui é verificar a aceitação de sua ideia e o potencial de lucratividade. Essa etapa serve para encontrar o melhor modelo possível. 

Trabalhe com números

As informações mais precisas sobre o andamento do seu negócio são apresentadas nas métricas. Estabeleça as métricas adequadas para medir o sucesso do seu negócio e otimizar o seu modelo.

Busque apoio

Seu modelo está aprovado? Busque apoio financeiro e mentoria para te ajudar na agilidade e aceleração do processo. Várias instituições oferecem apoio específico para startups. 

Busque investidores

Saiba vender sua ideia. Apresente as informações mais importantes de sua solução, de forma resumida e clara. Você também pode conseguir recursos por meio de um financiamento coletivo, empréstimo ou abrindo a sociedade para um novo sócio, por exemplo.

Seja quem você é

Mantenha a cultura do seu negócio. Investimentos e a sobrevivência no mercado estão diretamente ligados à identidade do seu negócio, ao propósito estabelecido e aos sonhos realizados. 

Keep calm e continue crescendo

Sabe aquelas camisetas que fizeram altos sucessos? Pois é, vamos imaginar que sua startup tenha dado muito certo. A dica final é: não pare por aqui. Continue inovando, arrisque-se um pouco mais. 

Keep on going, mas sempre com um pezinho no chão, ciente do que está rolando, mas sedento pelo que ainda está por vir.

Você também pode gostar

Deixe um comentário