Qual a diferença entre consultoria, mentoria e coaching?

9 minutos para ler

Para começar, é importante deixar claro que esses três tipos de processos servem para o desenvolvimento do ser humano, tanto pessoal quanto profissional. 

Entramos em um período histórico, essencialmente tecnológico, e, nesse sentido, marcado por mudanças. Para a geração dos millenials, ou seja, aqueles nascidos entre 1980 e 1996, as abordagens educativas mais clássicas estão deixando a desejar. Especialmente dentro de empresas, os colaboradores estão querendo aprender e se desenvolver, mas não apenas ouvindo palestras e copiando slides.

Já é sabido que cada um tem uma forma de aprender ou apresentar o mesmo conteúdo,  e o que é  desafio para a Laura pode fazer bem mais sentido do que para o João, que está sem o menor interesse.

Por essas e outras é que se tem apostado em abordagens personalizadas que possam suprir as necessidades de desenvolvimento de cada um, conforme sua singularidade.

Não é por nada que o coaching está tão na moda. 

Quem nunca ouviu falar em coaching? E, mais: que o coach vai te ajudar a resolver teus problemas ou que é, tipo, um psicólogo.

Mas será que é isso mesmo o que um coach faz? E qual diferença entre o coach, o mentor e um consultor? 

É isso o que você vai aprender aqui, começando pela consultoria.

O que é consultoria?

A consultoria é uma atividade que consiste em diagnosticar e resolver problemas. Neste sentido, esse serviço pode ser oferecido por um profissional com bastante experiência e conhecimento técnico no assunto ou área específica. 

Vamos supor que um consultor financeiro tenha sido contratado por uma empresa para identificar porque tanto dinheiro está indo para o ralo.

Para descobrir a causa do problema, o consultor vai atuar de forma direta, ou seja, vai analisar o setor financeiro para identificar o que está acontecendo. Assim que descobrir, vai propor soluções ou alternativas para ajudar a empresa a sair do buraco.

Enquanto estiver atuando na empresa, o conhecimento do consultor será compartilhado com os colaboradores da área financeira, o que significa que o aprendizado ficará como herança. Por isso, podemos falar que o consultor também ajuda a prevenir futuros problemas. 

Onde pode atuar?

Um consultor pode trabalhar em empresas ou pode ser autônomo e a área de atuação vai depender da necessidade do cliente ou contratante. 

Tomando a consultoria empresarial como exemplo, o consultor pode atuar nas seguintes áreas:

  • Recursos Humanos (RH)
  • Marketing
  • Finanças
  • Gestão Empresarial
  • Comercial
  • Jurídica

Vamos supor que você queria trabalhar como consultora, pois já tem experiência. Isso é o suficiente? Veja, a seguir.

Quais cursos precisa ter?

Como o diferencial do consultor é o conhecimento que ele tem, para se tornar um, é fundamental investir nos estudos. Fazer um curso de graduação é fundamental, além de especializações conforme área de atuação desejada. 

No exemplo do consultor financeiro, ele deve ter feito um curso de graduação em Ciências Contábeis ou Econômicas, de 4 anos de duração e, talvez, uma especialização em Gestão Financeira, com duração de 2 anos. Além do conhecimento científico, tem que ter muita experiência na bagagem.

O que é mentoria?

O processo de mentoria envolve duas pessoas. O mentor, uma pessoa experiente e com conhecimento mais avançado na área em questão, que se dispõe a ajudar no desenvolvimento de um aprendiz, também chamado de mentorado. 

Por meio de exemplos e sugestões, o mentor tem o papel de ajudar o mentorado a encontrar os melhores caminhos para o seu desenvolvimento profissional. 

Muitas vezes, o processo de mentoria envolve dois profissionais da mesma empresa, com o intuito de trabalhar com as principais dificuldades e barreiras enfrentadas pelo mentorando. 

Onde pode atuar?

Há bastante demanda de trabalho nas seguintes áreas:

  • Saúde
  • Negócios
  • Empreendimentos e Startups
  • Carreira
  • Lazer
  • Relacionamentos

O importante é saber desenvolver programas de mentoria personalizados para oferecer soluções mais adequadas ao tipo de demanda.

Se você for uma pessoa que entende de empatia, resiliência e comunicação interpessoal, pode investir na mentoria profissional em relacionamentos, por exemplo.

Quais cursos precisa ter?

O mentor precisa definir uma área de atuação e quanto mais souber dessa área, mais competência terá para atuar no ramo da mentoria. 

Você pode se tornar mentor na sua área de formação e atuação ou se especializar em um nicho de mercado que está com bastante demanda. Mas para estar por dentro de tudo, precisa:

  • Fazer cursos e formações específicas da área, de maneira continuada
    Se manter atualizado sobre o que está acontecendo na área, por meio de leituras, redes sociais, experiências práticas
  • Participar de cursos de desenvolvimento pessoal, afinal você estará trabalhando com o desenvolvimento de habilidades e potencialidades do seu mentor

Além disso, o mentor precisa estar comprometido com o processo em todas as duas etapas, que envolvem reuniões, metas e metodologias, acompanhamento e avaliações. 

O que é coaching?

Vamos, agora, entender do que está em alta: o processo de coaching. Assim como os demais, o coach (treinador) trabalha com o desenvolvimento pessoal e profissional de qualquer pessoa, visando alcançar os resultados desejados. 

O coach está mais focado na metodologia de coaching do que na área específica, diferentemente dos outros especialistas citados, o consultor e o mentor. 

Mas como funciona essa metodologia?

O coach usa técnicas de treinamento cientificamente comprovadas para atingir os resultados esperados, o mais rapidamente possível. Para isso, ele traça um plano de ação com metas e prazos. Em cada encontro ou sessão com o coachee, o coach dá o feedback sobre os resultados alcançados. 

Ao invés de apresentar soluções ou ajudar a encontrar soluções específicas a um problema, o coach vai estimular o indivíduo a encontrar as respostas para seus impasses ou dificuldades.
Muitas vezes, achamos que o que está acontecendo com a gente é culpa dos outros, não é mesmo? Pois o coach vai te estimular a sair da zona de conforto, por meio de questionamentos que possam te fazer perceber novas saídas para aqueles impasses.

A ideia é colocar o indivíduo para pensar no seu envolvimento direto com o que está acontecendo. Ao invés de dar respostas, o coach vai te ajudar com perguntas.

Talvez, por colocar em prática a reflexão, muitas pessoas confundam o coach com o psicólogo, mas, definitivamente, são profissões bem diferentes.

Onde pode atuar?

O coach pode atuar nas seguintes áreas:

  • Coaching de vida (família, espiritual, relacionamento)
  • Coaching executivo (liderança, empresarial, negócios)

Perceba que essas áreas estão divididas em desenvolvimento pessoal e profissional, respectivamente, e cada uma delas pode focar nas subáreas apresentadas em parênteses.

Quais cursos precisa ter?

Por não ser uma profissão regularizada no Brasil, não existe um curso específico para trabalhar com coaching, mas fazer um curso de graduação pode te dar uma base bem mais sólida para o exercício da profissão.

Veja algumas opções:

  • Psicologia
  • Administração
  • Direito
  • Gestão de Pessoas
  • Recursos Humanos
  • Marketing

Se não for do interesse, existem cursos livres de coaching. As pós-graduações na área servem para os já graduados. 

Quais as principais diferenças entre eles?

Retomando um pouco do conteúdo conheça as principais diferenças entre consultoria, mentoria e coaching:

Consultoria

  • Foco está na solução do problema 
  • Especialistas em uma metodologia de análise em uma determinada área técnica

Mentoria

  • Foco no desenvolvimento pessoal e profissional 
  • Especialistas na metodologia de perguntas com base no tempo de experiência e conhecimento

Coaching

  • Foco no desenvolvimento pessoal e profissional 
  • Especialistas na metodologia baseada em perguntas visando mudanças comportamentais

Essas são algumas das diferenças entre eles.
Você saberia dizer o que essas profissões têm em comum?

Vamos ver!

Quais pontos eles têm em comum?

Já sabemos que muita gente confunde os processos de consultoria, mentoria e coaching, mas você sabe dizer por quê?

Basicamente porque os três processos buscam atingir resultados pessoais, profissionais ou organizacionais, de acordo com a demanda apresentada pelo cliente. 

O objetivo é o mesmo, mas a maneira de chegar lá é bem diferente. O consultor e mentor têm mais uma característica em comum, a de orientar, sugerir ou induzir à uma solução ou resposta. O primeiro, apresentando a solução conforme conhecimento técnico e o segundo, sugerindo o caminho por já ter muita experiência na área.

As atividades de consultoria, mentoria e coaching podem, inclusive, ser complementares umas às outras, mas se forem exercidas pelo mesmo profissional, este deve deixar claro qual a abordagem que está sendo usada para cada etapa.  

Vamos voltar ao exemplo do consultor financeiro, apresentado lá no início do texto. Para resolver a situação do excesso de despesas, ele apresentou uma solução. Neste sentido, fez um trabalho de consultoria. Se ele quisesse atuar como coach, e tivesse competência para tal, teria que usar a metodologia de coaching, o que incluiria trabalhar com base em questionamentos para que o cliente chegasse a uma solução. 

Mesmo deixando isso bem claro ao cliente, pode haver confusão. Por isso, talvez seja mais interessante focar em uma única abordagem, que, por si só, já demanda bastante coisa. 

Saiba mais: 

Você também pode gostar

Deixe um comentário