Qual a diferença entre motorista e entregador

Quadro dividido em dois com um motorista de um lado e um entregador do outro.
7 minutos para ler

Durante a busca por um profissional especializado no transporte e entrega de alimentos, produtos, medicamentos, documentos e até mesmo cargas, é possível que surjam dúvidas sobre qual a diferença entre motorista e entregador.

Neste conteúdo, vamos explicar quais são as responsabilidades e deveres de cada profissão, em quais áreas cada um pode atuar, assim como as especializações exigidas para quem deseja se tornar um motorista ou entregador.

Antes de buscar por um profissional, continue a leitura. Preparamos um conteúdo especial para você entender qual é a diferença entre o motorista e o entregador.

Leia mais: Qual a diferença entre esteticista e dermatologista?

O que faz um motorista?

Responsável pelo transporte de pessoas, cargas, documentos ou produtos para o destino final, o motorista é aquele que cumpri diversos itinerários seguindo todas as leis de trânsito e normas de segurança.

Motorista na frente de um volante, olhando para a câmera e segurando o boné.

O motorista também é encarregado de realizar a inspeção e condições do veículo, tais como a parte elétrica, pneus e também o abastecimento de combustível, como forma de conservar o meio de transporte e evitar acidentes.

Além de atuar no transporte de mercadorias, o motorista também pode atuar apenas como condutor de imóveis, trens (maquinista) ou embarcações.

Onde pode atuar?

O motorista pode ser contratado para trabalhar em empresas públicas ou privadas, trabalhar como terceirizado em uma empresa logística no transporte de cargas e diversos tipos de mercadorias, atuar como motorista autônomo ou ainda como empregado fixo de uma pessoa física.

Quais cursos precisa? 

A Carteira Nacional de Habilitação – CNH é a única exigência para quem deseja trabalhar como motorista. No entanto, cada categoria de veículo exige uma licença diferente nesta habilitação.

Caso o motorista precise conduzir veículos de duas ou três rodas como motos e triciclos. Já a categoria B, habilita condutores de veículos de 4 rodas como carros de passeio. A categoria C é indicada para motoristas que dirigem veículos de carga acima de 3,5 toneladas.

Com a CNH D, o motorista é habilitado para dirigir veículos de transporte de passageiros que acomodam mais de 8 pessoas, como ônibus, micro-ônibus e vans.

Já os veículos com unidade acoplada que excedam mais de 6 toneladas como carretas e caminhões com reboques e semirreboques articulados, exigem que o motorista tenha a CNH da categoria E para condução de acordo com a lei de trânsito.

Para conseguir essa habilitação, o motorista deve ser aprovado no curso de treinamento e práticas veiculares em situação de risco. No documento de habilitação também é necessário estar descrito que o profissional exerce atividade remunerada como motorista.

É válido reforçar que, além da habilitação, a qualificação em cursos relacionados à direção, mecânica e atendimento ao público e cursos livres de aprimoramento também podem ser um diferencial para se destacar na profissão.

O que faz um entregador? 

Além das tarefas comuns como o recebimento e expedição de cargas, objetos e correspondências, os entregadores também são responsáveis por outras atribuições, tais como a coleta, ordem, conferimento, triagem e entrega de produtos.

O entregador também deve prestar contas sobre o que foi coletado e entregue, realizar pesquisas de rastreamento de itens enviados e ainda prestar informações sobre o local onde trabalham.

Dois entregadores carregando caixas saídas de uma van.

As entregas a domicílio de compras de clientes também são feitas pelos entregadores, assim como o cuidado e a limpeza do local de armazenamento das entregas, que é fundamental para manter a organização e conservação de todas as mercadorias.

O auxílio no empacotamento das compras dos clientes também pode ser feito pelo entregador durante os intervalos das entregas, assim como a execução de atividades de apoio em outras áreas da loja como a reposição de produtos em prateleiras e recebimento de materiais.

Onde ele pode atuar?

Os entregadores podem exercer a profissão em correiros, atuando com correspondências (correios e telégrafos) ou ainda buscar por centros de moto-entrega para atuar no serviço de entrega de gás, bebidas, alimentos, entre outros. 

Em muitos casos, os entregadores também trabalham como ajudantes de caminhão, mensageiros, carteiros motorizados , office-boy. Atualmente, muitos entregadores têm ganhado sua renda através da entrega de alimentos em aplicativos.

Essa modalidade de trabalho é cada vez mais frequente, afinal, de acordo com uma pesquisa da plataforma PiniOn, os brasileiros usam mais de 250 aplicativos de delivery de comida.

E, com este cenário pandêmico em que as pessoas estão cada vez mais em casa, essa rotina tende a se tornar cada vez mais comum. Portanto, os profissionais de entrega estão sendo solicitados com frequência por estabelecimentos e aplicativos de delivery.

Quais cursos precisa ter? 

Para trabalhar como entregador, é necessário obter uma autorização para condução de veículos automotores de categoria A, sendo: motocicletas, ciclomotores, motonetas e triciclos).

Em algumas vagas analisadas, observamos que alguns contratantes também exigem carteira de habilitação para veículos de categoria C (veículos de carga) ou E (para a condução de veículos com mais de um reboque).

Quais as principais diferenças entre eles?

A habilitação exigida para cada uma das profissões é uma das principais diferenças entre um motorista e um entregador. O motorista deve se atentar ao seu campo de atuação. Caso queira trabalhar transportando pessoas, precisará apenas da categoria B.

Entretanto, como vimos neste conteúdo, as possibilidades de trabalho são diversas para um motorista, que pode trabalhar como condutor de uma carreta ou até mesmo de um trem. 

Já o entregador, em grande parte, utiliza motocicleta para realizar a entrega de produtos e portanto, deve se atentar a habilitação A e também com o mais importante: acessórios de segurança como capacete e colete para garantir a proteção contra possíveis acidentes.

Outra diferença entre as profissões é o salário recebido em cada profissão. De acordo com o site vagas.com.br, enquanto o motorista tem uma média salarial de 2.300,00, o salário médio do entregador é R$ 1.281,00.

Entretanto, por haver uma grande quantidade de oportunidades e vagas para entregadores no mercado de trabalho, é possível que um entregador autônomo consiga obter uma média salarial maior, de forma a superar as expectativas da profissão e  ainda fazer uma renda extra.

Com muita organização e desempenho na área, o entregador também pode abrir sua própria empresa de entrega e realizar parcerias com serviços de delivery de produtos.

Quais pontos têm em comum? 

Em ambas as profissões, é preciso que tanto o entregador quanto o motorista, estejam com a habilitação em dia e saibam como lidar com o público e até mesmo com as empresas de logística. 

Outro ponto em comum é a possibilidade de se tornar um Microempreendedor Individual – MEI e atuar como profissional autônomo. Nessa modalidade, é possível obter diversos benefícios ao trabalhar por conta própria.

Ao ter um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ, o motorista ou entregador pode regularizar os seus serviços sem burocracia e ainda ter o direito de contar com aposentadoria, salário maternidade e auxílio doença.

Leia mais: MEI ou ME: entenda o que é mais indicado para profissional autônomo

Esperamos que este conteúdo tenha tirado todas as suas dúvidas sobre o que faz um motorista e um entregador, quais cursos são necessários, principais diferenças e pontos em comum dessas profissões.

E se precisar de algum desses serviços, conte com o GetNinjas e encontre o profissional perfeito. Agora, se você for motorista ou entregado, cadastre-se na plataforma e aumente a sua cartela de clientes.

Você também pode gostar

Deixe um comentário