Veja os 4 modelos de teto de gesso mais pedidos!

teto de gesso
4 minutos para ler

O teto de gesso vem sendo cada vez mais buscado, tanto pela sua estética quanto pela sua funcionalidade. Esse modelo de acabamento é uma excelente maneira de esconder tubulações e tem sido usado não só em ambientes residenciais, mas também em espaços corporativos.

Para prestar um serviço de qualidade e conseguir entregar um resultado excelente para os seus clientes, é importante que você conheça os tipos de teto de gesso, como podem influenciar na estética ou funcionalidade da casa e, claro, como executá-los da melhor forma.

Quer saber mais sobre isso? Continue a leitura.

Quais são os tipos de teto de gesso?

Existem quatro tipos de teto de gesso comumente buscados. É necessário que o profissional seja capaz de identificá-los e entender quais são as melhores alternativas para as necessidades de cada cliente.

1. Liso

Esse modelo é uma tendência que conquistou os brasileiros há alguns anos. Trata-se do uso de gesso liso para finalizar o processo de revestimento da casa, muitas vezes no lugar do chapisco e do próprio reboco. O gesso liso traz um ar de sofisticação, além de deixar a textura da parede perfeita e uniforme.

2. Com sanca aberta

Essa versão garante um efeito diferenciado na iluminação. A abertura da moldura comumente é direcionada para o centro dos ambientes, permitindo a instalação de luzes embutidas. O resultado desse trabalho é uma iluminação indireta, refletindo para o teto, difusa e direcionável.

A sanca aberta ainda permite que spots sejam distribuídos na parte rebaixada. Há, também, espaço para embutir fitas de led, mangueiras de luz e até lâmpadas fluorescentes, a fim de deixar o ambiente ainda mais aconchegante.

3. Com sanca fechada

Esse modelo tem apenas algumas pequenas aberturas para inserir a iluminação do ambiente. Trata-se de uma estrutura com o forro rebaixado, apenas na região onde a parede e o teto se encontram.

O ponto de luz é central e, em alguns casos, são distribuídos outros circuitos de luz com spots pelo teto. O objetivo é garantir uma iluminação mais direcionada, capaz de valorizar o ambiente e todas as paredes do cômodo.

4. Com sanca invertida

Nessa opção, a sanca também é utilizada como um possível recurso visual, para reduzir o espaço existente entre o chão e o teto. Ela fica aberta e pode ter uma iluminação difusa, com a luz voltada para a parede do ambiente ou para o teto.

Sua instalação costuma ser feita por meio de placas de gesso, mas é preciso ter cuidado com o peso dos objetos que serão fixados na sanca. Apesar de ser resistente, existem alguns cuidados necessários para manter a integridade do revestimento.

Como deixar o ambiente mais limpo?

Para prestar o trabalho com tranquilidade, segurança e deixar o ambiente organizado, é fundamental que o profissional não deixe acumular sujeira. O gesso pode secar e acabar acumulando, por isso, é importante ter alguns intervalos para limpar a região onde o material se concentra ou fica caindo.

Também é importante proteger pisos e móveis, já que a manipulação do gesso pode resultar em formação de pó durante o processo de acabamento.

O teto de gesso traz charme e um aconchego diferenciado para o ambiente. Com o aumento da procura, é necessário que os profissionais autônomos que atuam nessa área se atualizem para prestar serviços diferenciados à clientela.

Quer aprender a se diferenciar e ganhar mais dinheiro? Leia agora o nosso artigo sobre 6 tendências de negócios lucrativos na construção civil.

Você também pode gostar

Deixe um comentário