Quando usar a tomada bivolt? Entenda!

tomada bivolt
6 minutos para ler

Para estabelecer uma corrente elétrica é preciso que haja uma força para empurrar os elétrons, de modo que circulem pelo fio e o dispositivo. O que faz acontecer esse movimento é a voltagem, também chamada de diferença de potencial ou tensão.

Temos aparelhos e tomadas com voltagens de 110 volts, 127 volts e 220 volts, sendo que o ideal é conectar a máquina a uma tomada de tensão adequada para evitar danos. A questão é que existem equipamentos que se regulam sozinhos para ajustar essas diferenças e outros que podem ser regulados. A tomada bivolt é uma boa possibilidade para facilitar sua rotina de eletricista e tende a ser muito útil ao cliente.

Neste post especial, vamos explicar melhor o assunto para você aprender mais sobre a tomada bivolt!

O que é a tomada bivolt?

A tecnologia bivolt significa que a máquina opera em duas voltagens, sendo que o aparelho pode ter uma chave seletora ou se adequar automaticamente à tensão da fonte de energia em duas faixas distintas, fixas e específicas.

Quem determina essas faixas é o fabricante. Assim, vemos que o parâmetro de tensão é preestabelecido e que o dispositivo se ajusta a esses limites em linhas demarcadas, de forma prévia.

A ideia da tomada bivolt é evitar danos ao aparelho — por exemplo, quando você conecta um equipamento de 110 volts em uma tomada de 220 volts e o item queima. Assim, a proposta é criar praticidade aos usuários, com uma tecnologia mais versátil.

Qual é a diferença entre as tomadas bivolt e autovolt?

Conforme mostramos, a tomada bivolt trabalha em duas diferenças de potencial distintas e predefinidas pelo fabricante. Já a tomada autovolt se ajusta à voltagem da fonte de energia elétrica, automaticamente e independentemente do valor.

Talvez você se pergunte qual delas é a melhor, mas a resposta depende da necessidade do usuário. Há casos em que uma tomada bivolt cumpre muito bem o seu papel e há situações em que a tomada autovolt é mais adequada. Por isso é tão importante aprender sobre o assunto, se profissionalizar e conhecer as melhores opções para cada contexto.

Quando utilizar a tomada bivolt?

A tomada bivolt é muito útil quando você tem uma rede elétrica que não é uniforme em um estabelecimento ou residência, ou seja, composta por tomadas de 127v e 220v. Assim, basta regular o aparelho que ele vai operar normalmente.

Além disso, há equipamentos que funcionam melhor em determinadas faixas de voltagem e não em outras. O chuveiro, por exemplo, tem um melhor desempenho na diferença de potencial de 220v, já que essa tensão evita a sobrecarga dos fios ao exigir uma corrente elétrica menor.

Qual é a importância de entender as especificidades do cliente?

Conforme destacamos, as tecnologias bivolt e autovolt têm seus pontos específicos e cada uma se adapta a um tipo de necessidade. A tomada autovolt é a opção ideal para alguém que viaja e leva equipamentos na mala. Dessa forma, a pessoa não precisa se preocupar em verificar a fonte e ajustar o aparelho, pois um esquecimento poderia resultar em danos à máquina.

Lembramos que os aparelhos de 220 volts têm mais eficiência no desempenho, porém, em termos de economia, não há diferença. Assim, é preciso ver a necessidade do seu cliente e conversar um pouco sobre o tipo de rotina que ele tem para fazer a indicação mais apropriada.

Quais cuidados tomar com a instalação da tomada bivolt?

A instalação de tomadas demanda alguns cuidados para você evitar riscos e danos. Vamos lembrar das medidas que não podem faltar na prestação de serviços elétricos?

  • desligue a chave de energia elétrica — esse cuidado é indispensável para qualquer manejo na fiação, evitando choques e imprevistos;
  • mantenha a tomada distante da água e do calor — isso é importante para evitar acidentes, descargas elétricas e incêndios;
  • alerte o cliente sobre o uso adequado de benjamins — os benjamins são recursos muito úteis quando há vários equipamentos e número reduzido de tomadas. Porém, seu uso pode sobrecarregar a fonte e aumentar o risco de choques ou curto-circuito. Uma boa alternativa para sugerir ao cliente é o filtro de linha, um dispositivo preparado para abrigar com segurança várias tomadas;
  • utilize ferramentas com cabos emborrachados — uma ferramenta completamente metalizada pode ser condutora de energia e facilitar choques. Com o cabo emborrachado, a carga elétrica é barrada devido ao material não condutor;
  • utilize sapatos e luvas emborrachados — os sapatos e luvas emborrachados ajudam a evitar que a corrente elétrica seja conduzida pelo contato com o chão ou com a tomada;
  • não trabalhe perto de crianças e animais — crianças e animais devem ficar longe da rede elétrica devido ao risco de choque e de levarem o eletricista a perder o foco no trabalho, o que pode aumentar a propensão a erros e danos;
  • evite instalar tomadas em dias chuvosos — em tempo de chuva, pode haver o risco de raios e o ambiente estar com maior umidade, o que pode aumentar os riscos de choque. Opte pelos dias ensolarados para a realização de serviços elétricos.

Neste post, trouxemos informações sobre as tomadas bivolt e destacamos a diferença delas em relação às tomadas autovolt. Você pôde aprender, também, sobre as melhores aplicações das tomadas e relembrou de alguns cuidados essenciais na instalação desses itens.

É bom buscar entender mais sobre o tema para você aperfeiçoar continuamente os seus serviços de eletricista. Novas tecnologias sempre aparecem e o bom profissional tem que saber bem da área para ajudar o cliente nas tomadas de decisão em relação aos sistemas elétricos. Você pode dar indicações e mostrar os pontos positivos e negativos de cada opção, como um serviço consultivo.

Assim, procure fazer treinamentos e leituras para aprender mais e reciclar as suas possibilidades. Com investimentos e esforços na direção certa, você pode ter mais bagagem para realizar um trabalho cada vez melhor.

A tomada bivolt é uma tecnologia muito útil, que ajuda a evitar danos com equipamentos colocados em tensões inadequadas. Ela dá mais versatilidade e tranquilidade para o cliente. Outra opção positiva é a tomada autovolt, que se adapta sozinha à diferença de potencial da rede.

Gostou de aprender sobre a tomada bivolt? Aproveite e siga a gente nas redes sociais! Estamos no Facebook, no Twitter e no Instagram!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.