Cimento sustentável: conheça os diferenciais desse material!

cimento sustentável
3 minutos para ler

A ONU (Organização das Nações Unidas) pontua a construção civil como um dos setores responsáveis por grandes impactos ambientais. A criação do cimento sustentável se deu diante desse cenário. Fabricantes do material estão, diariamente, buscando formas de mudar a realidade e tornar todo o processo mais sustentável. O foco é reduzir o consumo de energia e a extração de matéria-prima para o seu desenvolvimento.

Por isso, se você quer trabalhar de forma diferenciada e mais ecológica, essa pode ser uma boa alternativa. É preciso entender, no entanto, a diferença do cimento sustentável em relação ao tradicional e suas possíveis aplicações.

Prossiga com a leitura do artigo e saiba mais sobre o tema.

Como é feito o cimento sustentável?

Capaz de reduzir a emissão de dióxido de carbono durante a sua produção, além de minimizar o consumo de energia, o cimento sustentável surgiu para transformar o mercado de construção civil.

O cimento tradicional é composto por clínquer, um tipo de material proveniente do aquecimento de rochas calcárias. Nesse processo de fabricação, é necessário aquecer o clínquer em até 80°C. 

O cimento sustentável, por sua vez, é feito a partir dos resíduos granulados provenientes de fornos da indústria siderúrgica (termelétricas), de fundição e de carvão vegetal. Esse modelo de fabricação ajuda a reduzir até 95% das emissões de carbono. Há, também, diminuição dos gastos com energia, que podem cair até 80%.

Quais são os benefícios desse material?

Na hora de escolher entre cimento tradicional e cimento sustentável, é necessário considerar os benefícios da nova opção. O tipo sustentável se destaca pelo menor custo: devido à economia na energia, o gasto para a produção desse material acaba sendo reduzido, o que impacta diretamente no preço.

Outro ponto favorável está na durabilidade, já que o cimento sustentável tem uma longa vida útil. Ele também mantém uma maior estabilidade e, por consequência, acaba sendo uma boa alternativa para as construções.

Onde costuma ser empregado?

O cimento sustentável pode ser utilizado em diversas situações. Classificado como CP III, ele tem algumas variações de 25, 32 e 40 MPa. A NBR 5735 garante que esse material poderá ser aplicado em tarefas básicas e complexas, incluindo:

  • aplicação de revestimento;
  • aplicação de argamassa;
  • reformas simples;
  • colocação de azulejos e ladrilhos;
  • rejunte de azulejos e ladrilhos;
  • pisos industriais;
  • solo-cimento;
  • fundações;
  • pavimentação;
  • artefatos de concreto;
  • elementos pré-moldados;
  • fabricação de concreto simples;
  • barragens;
  • local de passagem de esgotos;
  • obras submersas.

Isso significa que, tanto nas obras simples quanto nas mais complexas, esse cimento pode ser a melhor opção.

Por conta de sua versatilidade, o cimento sustentável está ganhando cada vez mais adeptos. Vale lembrar que ele traz benefícios para diferentes obras, reduz custos e ainda possibilita que as empresas trabalhem de forma mais sustentável.

Nós criamos conteúdos para ajudar profissionais a ter uma boa performance e aumentar a rentabilidade. Por isso, se quiser aprender mais sobre o tema e melhorar o dia a dia da sua prestação de serviços, siga-nos nas redes sociais! Estamos presentes no Facebook, Twitter, Youtube e LinkedIn.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.