Guia do profissional: babá

17 minutos para ler

Conheça tudo sobre a rotina de uma babá!

O trabalho da babá é fundamental no desenvolvimento de uma criança, mas você sabe da origem desta profissão?

Para entender esse ofício, é necessário voltar para a Idade Média. Na época, as crianças da nobreza eram amamentadas e cuidadas por outras mulheres.

As escravas eram chamadas amas-de-leite e eram mulheres que tinham gerado filhos na mesma época e, por isso, amamentavam as crianças, essas que voltavam ao convívio familiar apenas após o desmame, que podia ocorrer até depois dos 6 anos.

Esse conceito perdurou também durante o Brasil colonial e imperial até, enfim, o final da escravidão. Durante o século XIX e XX surgiram as governantas, mulheres responsáveis pela organização da casa e a educação dos filhos.

Entretanto, é em 1937 que o termo “babysitter” surge, ou seja, cuidador de bebê ou babá, já sua formação verbal “to babysit” só foi vista em 1947. Sua versão em português, no Brasil, tornou-se babá.

Além disso, a origem do termo da profissão vem do persa bābā (بابا), que significa pai.

Foi nas décadas de 60 e 70 que o mercado de trabalho das babás cresceu significativamente, tendo em vista a entrada das mulheres no mercado de trabalho.

O ritmo de vida acelerado e a rotina movimentada de trabalho dos pais faz com que a profissão esteja cada vez mais presente na sociedade.

Por isso, preparamos esse guia para você entender tudo sobre a profissão: atribuições, áreas de atuação, pré-requisitos, formação desejada, glossário e mais!

Acompanhe a leitura até o final para descobrir tudo.

O que faz uma babá?

O trabalho de uma babá, como já falamos um pouco, vem da expressão “to babysit”. Isso quer dizer cuidar de bebês e crianças.

Portanto, o trabalho dessa profissional é cuidar e zelar pela qualidade de vida e rotina da criança cuidada.

Além disso, em uma perspectiva regulamentar, a profissão está inserida na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO).

A CBO é um documento oficial brasileiro que descreve e categoriza as profissões do mercado de trabalho.

Nesse sentido, o trabalho de babá se encaixa na seguinte classificação:

  • 5 – Trabalhadores dos serviços, vendedores do comércio em lojas e mercados;
    • 51 – Trabalhadores dos serviços;
      • 516 – Trabalhadores nos serviços de embelezamento e cuidados pessoais;
        • 5162 – Cuidadores de crianças, jovens, adultos e idosos.
          • 516205 – Babá.

Sua descrição sumária envolve o cuidado a bebês, crianças e jovens, com objetivos e responsabilidades estabelecidos pelo empregador.

Seu dia a dia envolve zelar por fatores importantes, como bem-estar, alimentação, saúde, educação, cultura, recreação, lazer, higiene, medicação e mais, com tarefas como:

  • Acompanha e administra remédios, com a ciência e o consentimento dos responsáveis;
  • Planejar refeições, preparar a comida e alimentar a criança;
  • Fiscalizar os horários de escola e atividades;
  • Preparar e dar banho ou supervisionar o banho;
  • Ensinar boas maneiras;
  • Manter o quarto da criança limpo e organizado;
  • Preparar e dar a mamadeira;
  • Organizar brinquedos;
  • Organizar a área de lazer ou espaço que estão os brinquedos;
  • Limpar e cuidar das vestimentas;
  • Estar atenta para alterações físicas ou emocionais;
  • Acompanhar e ajudar com a realização de atividades escolares;
  • Controlar os horários das atividades diárias;
  • Acompanhar as crianças para a escola, parque ou outra atividade infantil;
  • Propor e realizar atividades educativas;
  • Realizar o monitoramento do sono;
  • Relatar o dia a dia para os responsáveis da criança;
  • Incentivar a criatividade e o desenvolvimento;
  • Trocar as fraldas;
  • Participar de momentos recreativos.

É importante que o profissional entenda a devida importância do seu cargo. 

Afinal, é comum que a babá seja a pessoa de mais contato com a criança e, por isso, uma das maiores responsáveis pelo desenvolvimento infantil e interpessoal do cuidado.

Veja também: Cuidado com as crianças nos condomínios

Como está o mercado de trabalho para babás?

Para iniciar sua carreira como babá, é essencial que você entenda o significado do cargo e suas responsabilidades. Afinal, o primeiro passo para entender a realização de uma atividade é entendê-la, né?

Mas, seguindo essa linha de raciocínio, na hora de encontrar o seu emprego, você terá que lidar com todo um mercado de trabalho.

Por isso, é importante você saber o quanto uma babá ganha ou até mesmo onde pode trabalhar.

Para isso, explicaremos um pouco sobre o mercado de trabalho, te entregando informações essenciais, como a faixa salarial.

Áreas de atuação

Como já dito, a entrada das mulheres no mercado de trabalho gerou a popularização da profissão. Entretanto, a cada dia que passa, os trabalhadores possuem um ritmo de vida ainda mais acelerado.

É comum vermos profissionais que passam o dia fora de casa e, ao chegar em seu lar, ainda possuem demandas para entregar e fazer nos horários fora de expediente.

Tendo em vista essa rotina movimentada, os responsáveis e pais precisam, cada vez mais, de suporte de babás para ajudar na criação de seus filhos, gerando uma alta demanda no mercado de trabalho.

Nesse sentido, um estudo feito pelo Salário.com mostrou que entre dezembro de 2020 e novembro de 2021, houve um aumento de 68,67% de contratação formal, ou seja, o uso da carteira assinada.

A contratação a partir do meio formal é essencial para que o profissional tenha segurança trabalhista.

Dessa forma, como babá, é possível trabalhar em diferentes situações, com mudanças de locais e horários.

Sendo uma babá particular, por exemplo, você trabalhará no domicílio da família  com horários pré-determinados e, dessa forma, haverá uma dedicação exclusiva para a criança.

Essa é a modalidade mais comum e pode variar entre horários e dias de trabalho, pois depende da rotina dos responsáveis, por exemplo:

  • Cinco dias na semana, passando as noites na casa da família;
  • Todas as tardes de segunda a sexta;
  • Tempo integral, de 8h às 18h, de segunda a sábado;
  • Revezamento de turno de segunda a domingo;
  • Somente aos finais de semana;
  • Por curtos períodos de viagem;
  • Somente durante as manhãs, entre outros.

Além disso, é possível ser contratada em instituições cuidadoras de crianças. Outra possibilidade é a contratação dentro de uma empresa que oferece babás, ou seja, as empresas contratam você, o cliente solicita uma babá e a empresa fornece você como profissional. 

Média salarial da profissão

O salário é um dos fatores mais importantes para a escolha da profissão. Afinal, é a partir dela que proporcionamos qualidade de vida.

Assim, uma pesquisa feita pelo Salário.com apresenta valores que consideram o intervalo de tempo de Dezembro de 2020 a Novembro de 2021.

Os dados são oficiais e foram analisados em parceria com Novo CAGED, eSocial e Empregador Web.

Além disso, é considerada uma jornada de 44 horas semanais de trabalho, ou seja, 8,8 horas por dia considerando uma jornada de trabalho de segunda a sexta.

No geral, a faixa salarial é de R$ 1.420,00.

Esse número, a depender do cargo do profissional, pode variar de R$ 1.300,00 até R$ 2.400,00.

O local de maior oportunidades e vagas de emprego para a profissão é a cidade de São Paulo, em São Paulo.

Por último, é importante afirmar que estes valores não consideram nenhum tipo de renda extra, bonificações ou comissões, estes que são comuns no ofício de babá.

Por que trabalhar como babá?

Agora tá na hora de você saber os motivos para ser babá, quais habilidades deve ter e qual deverá ser a sua formação e competências.

Motivos para ser uma babá

Antes de falarmos das habilidades e da formação que você precisa, é legal saber alguns motivos para trabalhar na área.

Afinal, quando trabalhamos com o que amamos, temos maiores níveis de rendimento, felicidade e bem-estar.

Por isso, confira alguns motivos para começar a ser babá:

  • Possibilidade de ser uma peça fundamental do desenvolvimento de uma criança;
  • Alta empregabilidade, tendo em vista que o mercado está aquecido;
  • Rotina movimentada e diversificada ao lado da criança;
  • É promissor e lucrativo, podendo ter um salário valorizado e reconhecimento no mercado;
  • Valorização profissional, tendo em vista a importância dessa profissão;

Esses são apenas alguns dos motivos para se trabalhar como babá. Cabe a você continuar a lista.

Habilidades necessárias para ser babá

Agora que você já sabe as responsabilidades, o mercado de trabalho e os motivos para ser uma babá, está na hora de conferir quais habilidades interpessoais deve ter.

Entretanto, saiba que: você não precisa ter todas as habilidades.

As soft skills são conquistas que, com a prática, você fica cada vez melhor. Por isso, não deixa uma habilidade ou a falta de uma impedir que você comece sua carreira profissional.

O bom profissional reconhece que, todos os dias, aprende algo diferente. Essa é a mentalidade que você também deve ter.

Assim, o primeiro passo é gostar de criança! Afinal, é preciso de afeto para o cuidado infantil, além de muita paciência e dedicação.

Outra habilidade necessária é a escuta ativa. Converse com os pais e responsáveis, mas, principalmente, converse com a criança. É essencial que você perceba as necessidades da família.

Nesse sentido, não infantilize a criança. É importante tratá-la como um ser racional capaz de tomar suas próprias decisões. Isso não significa fazer tudo que o pequeno está pedindo, mas incentivar sua autonomia, senso crítico e tomada de decisão.

Também é importante ter responsabilidade e respeitar os limites da criança, tendo em vista que você estará lidando com as intimidades do bebê.

Por último, é essencial prezar pela higiene da criança e limpeza dos ambientes que o bebê frequenta, como seu quarto e área de lazer.

Formação desejada de uma babá

Primeiro de tudo, é importante possuir mais de 18 anos.

Em relação ao ensino, não é necessário uma graduação universitária para a profissão, mas, geralmente, é exigido até a quarta série do ensino fundamental ou o ensino médio completo.

Entretanto, algumas crianças possuem um elevado grau de dependência e, por causa disso, é necessário a formação na área de saúde, como técnico ou auxiliar de enfermagem.

Além disso, é comum que o empregador também exija de 1 a 2 anos de experiência. 

Por isso, é recomendável começar, por exemplo, em domicílios ou instituições cuidadoras públicas, privadas ou ONGs, contanto que o profissional atue em funções de supervisão ou auxiliar de cuidadora. Assim, no futuro, é possível ser babá sozinha de uma criança.

No geral, uma dica importante e que valoriza o seu trabalho, é a realização de cursos e treinamentos específicos profissionalizantes em escolas e associações.

A formação permite o maior conhecimento dos cuidados e necessidade de uma criança, incluindo a possibilidade de um treinamento de primeiros socorros, elevando o seu nível de capacitação.

Leia também: Ideias criativas para decorar o banheiro das crianças

Dicas essenciais

Agora você já sabe todos os detalhes para ser uma babá de primeira, mas é claro que todo conhecimento é pouco, né?

Para te ajudar a ter o melhor começo de carreira, separamos as melhores dicas para você.

Confira, em seguida, os hábitos que você deve acrescentar na sua rotina e os livros que você deve ler. Anote todas as dicas em um papel e comece hoje. Não há tempo há se perder.

Como ser um profissional de sucesso

Todo bom profissional sabe que uma dica valiosa é sempre bem-vinda. Afinal, vivemos em um constante processo de evolução. 

Por isso, confira dicas de como conquistar clientes e encantar as famílias e os pequenos.

#1 – Tenha autoconhecimento profissional 

Antes de tudo, é importante que você se conheça como profissional, ou seja, entenda seus objetivos profissionais e o que você procura no trabalho de babá. 

Você deseja trabalhar em uma agência de babás? Ou acha mais interessante uma instituição de cuidadores de crianças? Ou ainda particular para uma família exclusiva? Além disso, qual jornada de trabalho você se adaptaria melhor? Tem integral? Expediente noturno?

Além disso, analise qual família você quer trabalhar, quantas crianças você consegue cuidar e as atividades que quer desempenhar.

É essencial que você saiba o que quer para que, na hora da contratação, faça uma negociação mais assertiva e encontre um emprego bom e satisfatório.

#2 – Conheça suas qualidades e pontos fortes

Em uma negociação, é importante que você saiba valorizar suas qualidades e conquiste o cliente. Por isso, é essencial que você saiba listar suas habilidades e reconheça o nível do seu trabalho.

Quais experiências te agregaram como profissional? Como você gosta de brincar com as crianças? Quais tarefas você tem habilidade de executar? 

Você pode até pensar em coisas extras que gosta de fazer e pode ajudar a família, como cozinhar ou tarefas domésticas simples.

O importante é ter o autoconhecimento que valorize você como profissional.

#3 – Use as redes sociais 

O uso das redes sociais é uma forte ferramenta para a divulgação do seu trabalho e construção da sua reputação.

Por isso, divulgue seu ofício de babá e crie conexão com os pais e responsáveis.

Produza conteúdos sobre o cuidado infantil, converse com outros profissionais, divulgue seus serviços e, aos poucos, veja sua carreira decolar.

#4 – Foque no atendimento ao cliente 

Independente do cuidado ao pequeno, você não deve tirar da mente que o seu cliente são os responsáveis.

E, lembre-se, o cliente é sempre uma prioridade!

Por isso, mantenha a transparência, o respeito e a simpatia sempre. Foque em criar um relacionamento sincero com eles para que fiquem cada vez mais satisfeitos.

#5 – Seja persistente na sua carreira 

No início da carreira, passamos por muitas dificuldades, mas é importante que você não deixe isso te abalar.

Procure desafios constantes e mantenha sua mente ativa com um estudo constante.

Seja insistente em conquistar os seus sonhos e objetivos.

#5 – Continue estudando 

É importante que você se capacite sempre. Coloque uma meta semestral ou trimestral de quantos cursos ou palestras deseja fazer para se manter em constante processo de aprendizado.

Minicursos, palestras, debates, cursos, treinamentos.

Todas as formas de troca de conhecimento são importantes para você como profissional.

Melhores livros para uma babá

Para além de dicas de atitude e hábitos, é importante que você tenha diferentes fontes de conhecimento.

O estudo pode vir de podcasts, livros, filmes, documentários, sérios, e-books, pessoas de influência da área, entre outros.

Para você ter um bom começo, separamos alguns livros que, como babá, você tem que conferir.

#1 – Babá: manual de instruções: guia para a mãe

Lançado em 2009 e escrito por Roberta Palermo, esta obra é feita para mães e babás, visando melhorar o relacionamento entre as duas.  

Assim, o livro é dividido em duas partes:

  • Primeira: dicas para a mãe encontrar uma babá de qualidade e conhecer a legislação trabalhista;
  • Segunda: dicas para a babá para um bom convívio e espaço de trabalho, com insights sobre lidar com conflito e criar um bom relacionamento com os pais.

#2 – Crianças Dinamarquesas

A Dinamarca, desde da década de 70, é conhecida como a população mais feliz do mundo.

Nessa lógica, Jéssica Joelle Alexander e Iben Dissing Sandahl escreveram um livro sobre o método dinamarquês para criar crianças felizes e resilientes.

O livro baseiam-se em uma sigla chamada FILHOS, em que cada letra representa uma maneira de criar seus pequenos, da seguinte forma:

  • Farra (F);
  • Integridade (I);
  • Linguagem (L);
  • Humanidade (H);
  • Opressão zero (O);
  • Socialização (S).

Assim, é possível encontrar diversas dicas interessantes da criação de crianças.

#3 – Mais Segredos da Encantadora de Bebês

Como já sabemos, os cuidados de uma criança de até 3 anos são completamente diferentes dos de crianças maiores.

Por isso, Melinda Blau escreve a obra com o propósito de falar sobre a rotina de recém-nascidos e bebês menos, até os 3 anos de idade.

Esta obra serve como guia indispensável para saber todos os detalhes de como cuidar de um bebê novinho.

É uma leitura incrível para mães de primeira viagem e babás no início de sua carreira.

Confira também: Incentivo à arte: Ideias para expor os desenhos das crianças

Boas práticas de como ser um profissional

Para ser um profissional com protagonismo no mercado, é importante saber se promover. Afinal, se você não valoriza seu próprio trabalho, quem vai valorizar? 

Como já falamos aqui, é essencial o autoconhecimento profissional. E, por isso, esse é o primeiro passo para ter o reconhecimento que você merece.

Além disso, existem algumas formas de divulgação importantes, como: 

  • Crie uma logo e identidade visual para o seu perfil nas redes, é como você será reconhecida;
  • Entenda quem é o seu público-alvo e escolha as redes sociais que eles estarão presentes, como Facebook e Instagram;
  • Comprometa-se a ter presença em algumas redes sociais e dedique parte do seu tempo diário para isso;
  • Produza panfletos para divulgar seu serviço;
  • Entregue cartão de visita para os seus clientes e leads;
  • Peça para os seus clientes divulgarem seus serviços para outros amigos com filhos;
  • Faça uma mensagem padrão para ser, periodicamente, espalhadas por grupos de WhatsApp e Telegram.

A última dica e a mais importante: utilize o GetNinjas!

Somos a maior plataforma de conexão entre quem precisa e quem sabe fazer, oferecendo serviços de profissionais autônomos para clientes por todo o Brasil.

Ofertamos mais de 500 serviços e fechamos um negócio a cada 30 segundos.

Portanto, se você é babá, seja iniciante, intermediário ou avançado na sua carreira, tá na hora de nos conhecer! Cadastra-se como prestador de serviços e conquiste diversos clientes.

Glossário da profissão

Como babá, o pequeno não será o único aprendendo novas palavras.

Por isso, separamos um glossário de termos que você utilizará no seu cotidiano:

  • Criança: de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a criança é uma pessoa de até 12 anos de idade, sendo dever da família, do poder público e da comunidade assegurar os seus direitos de vida, alimentação, saúde, esporte, cultura, respeito, liberdade, convivência familiar e comunitária e mais.
  • Desenvolvimento: processo de construção de novas habilidades em uma criança, sendo feito em um processo de constante evolução.
  • Desenvolvimento cognitivo: ainda envolve o processo de construção de novas habilidades, mas em específico sobre as funções mentais, como memória, raciocínio, etc.
  • Educação infantil: considera até os 6 anos de idade do pequeno.
  • Pré-escola: instituição escolar que atende crianças até os 5 anos de idade.
  • Vínculo: ligação nata entre dois indivíduos, comum de ser vista entre a mãe e o bebê.

Pronta para ser uma babá ninja?

Agora, de fato, você já sabe tudo que precisa, nos mínimos detalhes, sobre o trabalho e a rotina da babá.

O trabalho desse profissional é incrível tendo em vista que você tem a oportunidade de ajudar no desenvolvimento pessoal do indivíduo.

Por isso, quando estiver pronto para colocar a mão na massa, lembre que somos uma plataforma com propósito de transformar a vida dos profissionais autônomos brasileiros. 

Anuncie seus serviços de babá com a gente e encontre famílias precisando de você na sua cidade.

Você também pode gostar

Deixe um comentário