Qual a diferença entre psicólogo e terapeuta?

9 minutos para ler

Entenda as diferenças entre terapeuta e psicólogo e qual é o melhor profissional para o que você procura.

Você já deve ter se perguntado qual a diferença entre um psicólogo e um terapeuta. É muito comum associarmos as duas profissões ainda que sejam essencialmente diferentes. 

O primeiro ponto de divergência, entretanto, é a formação. Apesar de atuarem em tratamentos semelhantes dentro da área da saúde, os psicólogos e terapeutas trilham caminhos distintos desde o estudo até à prática.

Neste artigo vamos conversar sobre as dúvidas mais comuns em relação às duas profissões, qual a formação para exercer cada uma e algumas curiosidades.

Diferença entre terapeuta e psicólogo

Profissionais que cuidam do corpo e da mente, em vários aspectos, são terapeutas. O seu objetivo principal é tratar doenças físicas ou psíquicas, buscando maior qualidade de vida para os seus pacientes.

Psicólogos são os profissionais graduados em Psicologia, que atendem em diversas áreas do comportamento e da psique humana.

Existem mais de 10 áreas de atuação em Psicologia, cada uma delas responsável por abordar um aspecto relacionado à subjetividade e aos fenômenos sociais a que estão expostos os seres humanos.

Por outro lado, terapeutas são pessoas capacitadas para cuidar de aspectos mais práticos da saúde e busca de bem-estar. No Brasil, são reconhecidas 29 terapias e cada uma delas é relacionada a um campo da saúde, procurando proporcionar melhorias na vida dos pacientes.

É bastante comum que o atendimento psicológico seja chamado de sessão de terapia, uma vez que “terapia” acaba por ser a abreviação de “psicoterapia”. Por isso a confusão entre os tratamentos.

Formação do psicólogo

O psicólogo é um profissional habilitado a diagnosticar e tratar inquietações emocionais, doenças psicológicas e mentais, alteração comportamental e transtornos da ordem psíquica. Ou seja, o psicólogo é aquele que estuda o trato das emoções e relações humanas, sejam individuais ou coletivas.

Para se tornar psicólogo, o profissional precisa passar por um curso de graduação que dura, em média, 5 anos. Durante os primeiros anos do curso de Psicologia, são estudados assuntos gerais que capacitam os profissionais a trabalhar com os aspectos da psique humana.

Durante a graduação, o aluno tem contato com diversas áreas da Psicologia, como por exemplo, a Psicologia Social, a Psicologia Organizacional, a Psicologia Escolar e a mais tradicional, a Psicologia Clínica. Essas áreas é que direcionam a carreira do profissional e o seu posicionamento diante do mercado de trabalho.

Entre as principais disciplinas do curso estão: Antropologia, Psicologia do Desenvolvimento, Neurologia, Avaliação Psicológica, Psicopatologia e outras que aprofundam o conhecimento no funcionamento do corpo humano e nos aspectos sociais e culturais que interferem no comportamento.

É bastante comum que os alunos de Psicologia atendam na própria universidade na fase final do curso de graduação, inclusive oferecendo preços mais baixos para os pacientes. Isso possibilita tanto aos alunos que tenham prática quanto à comunidade que se beneficie de um serviço de qualidade.

Campos de atuação do psicólogo

Os psicólogos podem atuar em diversas áreas e tratar de assuntos distintos. As sessões podem ser realizadas individualmente, em casal, em família ou em grupo e o psicólogo é responsável por analisar cada caso e propor tratamentos.

Os locais de atendimento de um psicólogo variam de acordo com a sua especialização. Por exemplo, existem especializações em psicoterapia, psicopedagogia, psicanálise, terapia cognitivo-comportamental, terapia positiva e muitas outras.

Cada área da psicologia propõe uma abordagem distinta, permitindo aos profissionais que atendam nos mais variados ambientes. Nem todos os psicólogos atuam com Psicologia Clínica, atendendo em consultórios. 

Outros locais em que um profissional de Psicologia pode trabalhar são, por exemplo:

  • Escolas e instituições de ensino;
  • Empresas;
  • Abrigos e lares de acolhimento de pessoas em situação de vulnerabilidade;
  • Centros de reabilitação;
  • Agências de recrutamento e seleção de profissionais;
  • Fóruns;
  • Clubes esportivo;
  • Postos de saúde ou Hospitais.

O principal objetivo dos tratamentos com um profissional de Psicologia é melhorar a relação do paciente com os seus pensamentos e sentimentos. Por meio da avaliação dos relatos do paciente, o psicólogo consegue identificar a melhor maneira de lidar com um possível transtorno ou dificuldades de relacionamento.

Sessões de psicoterapia, psicanálise ou outras abordagens terapêuticas concentram-se em tratar doenças da mente sem o uso de medicamentos. O ponto de partida é a ressignificação dos incômodos, sentimentos e aflições do paciente e a sugestão de uma mudança na forma de encarar o problema.

Para exercer a profissão de Psicólogo, é mandatório que o profissional tenha se graduado em uma faculdade de Psicologia e seja inscrito no Conselho Regional de Psicologia da sua região.

Formação do terapeuta

Como dissemos no início, todos os profissionais que trabalham para o bem-estar são considerados terapeutas. Ainda assim, existe uma formação superior em Terapia Ocupacional.

O terapeuta ocupacional é o profissional que atua diretamente com processos terapêuticos e de reabilitação, seja mental, ou motora. 

Entre as práticas relacionadas à terapia ocupacional estão estímulos a recém-nascidos, acompanhamento de crianças ou adultos com disfunções relativas à motricidade ou aprendizagem, promoção da saúde no trabalho ou reintegração de pessoas na sociedade.

Durante o curso de Terapia Ocupacional, o aluno tem contato com diversas disciplinas que tratam desde o funcionamento do corpo humano como Bioquímica, Traumatologia, Psicopatologia e Histologia até disciplinas que tratam de aspectos sócio-culturais e comportamentais como Sociologia e Antropologia.

Por ser uma graduação mais restrita e difícil de encontrar, boa parte dos profissionais que acabam por se especializar em terapia ocupacional são formados em fisioterapia.

Campos de atuação do terapeuta

Existem 29 categorias de terapias reconhecidas no Brasil. Além da terapia ocupacional, são consideradas terapias as disciplinas relacionadas ao tratamento de doenças emocionais ou físicas, buscando maior qualidade de vida para os pacientes. 

Alguns exemplos são:

  • Homeopatia;
  • Acupuntura;
  • Musicoterapia;
  • Aromaterapia;
  • Constelação familiar;
  • Massoterapia;
  • Meditação;
  • Reflexologia;
  • Thetahealing;
  • Reiki;
  • Florais;
  • Acupressão;
  • Hipnoterapia;
  • Ozonioterapia.

O Sistema Único de Saúde reconhece todas as 29 categorias de terapia alternativa e oferece atendimento gratuito a todos os brasileiros.

As terapias alternativas atendidas pelo SUS também são conhecidas como práticas integrativas e tem o objetivo de complementar o tratamento de diversas doenças sem que seja necessário o uso de medicamentos ou intervenções mais agressivas.

Terapias alternativas

As terapias alternativas como aromaterapia, reflexologia, massoterapia e cromoterapia são consideradas tratamentos complementares à medicina tradicional. Muitos tratamentos para doenças físicas e mentais podem ser reforçados com o auxílio de uma terapia alternativa, aumentando as chances de sucesso.

As terapias alternativas, combinadas com o tratamento psicológico adequado proporcionam melhorias em diversos aspectos da vida do paciente. Os estímulos alcançam desde pensamentos mais rasos até perspectivas mais delicadas como autoestima, variações de humor e relacionamento interpessoal.

Os tratamentos psicológicos bem como as terapias alternativas buscam encontrar o equilíbrio entre o corpo e a mente, para que o organismo funcione como um todo e esteja totalmente conectado.

Depressão e ansiedade no Brasil

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os casos de depressão e ansiedade no Brasil subiram drasticamente nos últimos anos. Em 2020, o país ultrapassou a marca de 16 milhões de pessoas diagnosticadas com depressão.

Esse quadro sugere um aumento na oferta de tratamentos psicológicos. Tanto terapeutas quanto psicólogos são profissionais essenciais no acompanhamento de casos de depressão e ansiedade. 

Os tratamentos devem levar em consideração cada caso, combinando técnicas tradicionais e alternativas que priorizem a conexão do paciente consigo mesmo, além de propor auxílio psiquiátrico quando necessário.

A prática de terapias alternativas focadas no desenvolvimento do corpo e da mente, como yoga ou massoterapia, pode resultar na prevenção de doenças psicológicas como depressão e ansiedade. 

Como identificar qual o profissional ideal para o seu tratamento?

O primeiro passo para realizar um tratamento psicológico de sucesso é reconhecer que se precisa de ajuda. A partir da aceitação e do reconhecimento, o paciente deve buscar auxílio de um profissional capacitado. 

Outro fator importante é criar uma conexão com a linha terapêutica trabalhada, pois a relação estabelecida deve ser de confiança e continuidade. É importante lembrar que esse tipo de tratamento é bastante delicado e deve ser feito com plena confiança no profissional.

Um dos principais fatores que influenciam na escolha de um bom profissional é a experiência que outras pessoas tiveram ao serem atendidas por ele. Indicações são uma ótima maneira de começar e encontrar um profissional de qualidade.

A partir da experiência compartilhada por outros clientes através das avaliações é possível encontrar um profissional de terapia ou psicologia que atenderá às suas necessidades. Além disso, pelas avaliações você poderá saber exatamente o que esperar do atendimento.

Aqui no GetNinjas, você encontra os melhores terapeutas e psicólogos do Brasil, prontos para te auxiliar a ter uma vida ainda mais saudável, tanto no aspecto físico quanto no psicológico e emocional!

Você também pode gostar

Deixe um comentário