Você sabe o que é fluxo de caixa?

8 minutos para ler

Utilizado como instrumento na tomada de decisões de uma empresa, o fluxo de caixa é um relatório de gestão financeira que tem como objetivo levantar todas as movimentações de entrada e saída de dinheiro que ocorreram no caixa em determinado período.

Com este documento em mãos, o empresário poderá entender com clareza quanto de saldo possui em caixa e qual é a liquidez da empresa, o que leva a compreender como anda a saúde financeira do negócio.

Continue conosco e entenda mais o que é o fluxo de caixa, qual sua importância, como fazer, quais os tipos e mais. 

O que é fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira que acompanha o movimento de entradas e saídas do caixa de uma empresa. Portanto, a ideia é colocar neste documento tudo que você recebe e paga no negócio.

Para que este controle financeiro ocorra conforme planejado, é preciso guardar todos os registros de recebimentos e pagamentos feitos e previstos da organização. Dessa forma, você terá uma visão geral da situação financeira do negócio.

Sendo assim, é fundamental que toda e qualquer receita ou despesa seja registrada. Quanto mais preciso for o levantamento, mais detalhada e assertiva será a sua análise.

Com essa base de dados em mãos, você poderá tomar decisões, projetar a realização de pagamentos e recebimentos, impedir gastos e até mesmo planejar investimentos a curto e longo prazo de acordo com o crescimento do negócio.

Por que o fluxo de caixa é importante?

Durante a gestão do seu negócio, você terá que tomar decisões como: reduzir despesas sem comprometer o lucro, planejar investimentos, organizar promoções para liberar estoque, solicitar empréstimos, negociar prazos com fornecedores, entre outras medidas.

Neste momento, entra a importância de um fluxo de caixa bem feito. Com este documento, você terá uma ampla visão da situação atual e do futuro da sua empresa e estará preparado para evitar ou reduzir os riscos de dificuldades financeiras da empresa. 

Após a análise do fluxo de caixa, você terá como resultado o saldo disponível. Ou seja, o dinheiro existente no seu caixa já verificado pela diferença entre o total de recebimentos e pagamentos que foram realizados na data ou período especificados.

Além de prever, planejar e controlar entradas e saídas de dinheiro, o fluxo de caixa torna os processos financeiros da sua empresa muito mais eficientes. 

Com esta ferramenta, é possível avaliar se o lucro da empresa será capaz de cobrir todos os gastos previstos. Além de antecipar decisões relacionadas à falta ou excesso de dinheiro, é possível descobrir se a empresa está no vermelho, ou seja, se está com aperto ou folga financeira.

Por meio de toda a análise, o responsável pela empresa será capaz de avaliar a possibilidade de aumentar ou abaixar os preços, realizar promoções e até mesmo compreender se os recursos existentes são suficientes para seguir com o negócio ou se será preciso buscar por dinheiro extra para cobrir as despesas.

Quais os tipos de fluxo de caixa?

O tipo de fluxo de caixa pode variar de acordo com os objetivos. Pensando nisso, veja abaixo cada categoria e entenda como aplicá-las corretamente no seu negócio.

Caixa direto

O fluxo de caixa direto fornece relatórios diários levando em consideração os valores brutos de cada operação financeira (recebimentos e pagamentos) sem os descontos. 

Neste método utilizado com frequência no meio corporativo, as movimentações são registradas em diferentes categorias contábeis que ficam disponíveis para o gestor todos os dias, de forma a facilitar o estudo sobre a saúde financeira da empresa e as tomadas de decisão feitas a partir do documento.

Caixa indireto

O fluxo de caixa indireto é feito com base no lucro ou prejuízo já apresentado no Demonstrativo de Resultados do Exercício – DRE. O DRE é um documento que possui um resumo dos resultados de uma empresa no ano fiscal.

Por meio metodologia, é possível ajustar itens econômicos da empresa, tais como: amortizações e depreciações. Por serem contas que afetam os lucros, mas não o caixa, esse método é chamado de fluxo indireto.

Caixa projetado

Com o objetivo de prever receitas e gastos de um período futuro, o fluxo de caixa projetado é utilizado pelos gestores com o objetivo de planejar e evitar possíveis surpresas ou imprevistos no controle financeiro.

Essa estimativa não leva em consideração os valores de entradas e saídas que já foram efetivadas, mas sim as movimentações feitas no momento presente para construir uma visão do futuro da empresa.

Caixa operacional

Concentrado nas receitas e despesas operacionais, o fluxo de caixa operacional é utilizado apenas para operações financeiras essenciais para que o negócio funcione. 

É importante estar sempre de olho neste indicador para compreender quanto foi a quantia total que você conseguiu gerar no seu caixa de maneira isolada, sem influenciar os demais resultados que podem acabar te confundindo com relação à definição de sucesso ou fracasso da operação.

Caixa livre

A metodologia de fluxo de caixa livre é utilizada pelos gestores com o objetivo de determinar a capacidade de gerar capital e resultados positivos que podem ser de curto, médio e longo prazo. 

Portanto, após a análise, você terá a resposta da quantia livre total  que restou após os descontos, após o pagamento de todas as despesas da empresa. Este valor restante, geralmente, é utilizado para pagar dividendos de acionistas ou saldar alguma dívida existente do negócio.

Independente do tipo de fluxo de caixa escolhido, é importante saber quais dados devem estar presentes para que esse estudo ocorra conforme planejado.

Na lista de despesas, lembre-se de incluir a folha de pagamento dos seus funcionários, impostos, serviços contratados, investimentos, manutenção e materiais de uso cotidiano. Já na lista de receitas, considere: vendas, juros, financiamentos e retorno de investimentos.

Como fazer um fluxo de caixa?

O primeiro passo para fazer o fluxo de caixa é registrar e classificar cada movimentação feita na empresa, assim como a lista de despesas e receitas que listamos acima. Lembre-se que este acompanhamento deve ser feito diariamente.

Quanto mais detalhado for o seu documento, menor serão as chances de ocorrer alguma incompatibilidade nos cálculos. Separe cada valor de gasto ou recebimento em forma de categorias.

Dessa forma, você saberá qual foi a origem dos recursos e rendimentos que você utilizou. Além de classificar os gastos e rendimentos, busque realizar um acompanhamento diário nas movimentações para evitar incidentes financeiros no futuro, de forma a planejar melhor os gastos e antecipar soluções.

O fluxo de caixa deve ser atualizado de forma diária, semanal, quinzenal ou mensal, de acordo com o tipo de negócio. O importante é fazer essa atualização com frequência e evitar períodos muito longos para não perder o controle financeiro.

Para facilitar a organização dos registros e documentações, você pode realizar um inventário que contenha o levantamento de todas as despesas e receitas da empresa, tanto atuais, quanto futuras, incluindo também planos de investimento ou crescimento do negócio.

Avaliar se os dados estão de acordo com o plano de negócios da sua empresa também é relevante e, para facilitar, você pode organizar essas informações ao nível operacional, não operacional e de investimentos.

Controle de estoque

Planejar e gerenciar o estoque também é outra tarefa muito importante, pois, o controle de estoque é um indicador de quanto e quando você deve adquirir recursos para o suprimento da sua produção.

Portanto, é importante sempre avaliar qual é o limite máximo e mínimo de estoque e quanto você possui atualmente. Essas perguntas vão te levar a entender o quanto de controle você possui sobre a sua estocagem e de quanto você ainda precisa para não sair no prejuízo.

Capital de giro

Outra dica fundamental para fazer o fluxo de caixa é observar o capital de giro para saber se o seu negócio está obtendo o retorno previsto por meio das vendas dos produtos ou serviços.

Caso o capital de giro esteja baixo, talvez seja preciso renegociar alguns contratos já assinados com alguns clientes para tentar obter um melhor retorno para as finanças da sua empresa.

Fluxo de caixa

Neste caso, é importante realizar avaliações mais frequentes do seu fluxo de caixa para acompanhar mais de perto esse processo e compreender se o negócio está fluindo conforme o planejado.

Como vimos até aqui, o fluxo de caixa é uma ferramenta que ajuda os gestores a controlar a rotina das finanças no presente e também a projetar as finanças para o futuro.

Além de auxiliar na tomada de decisão, o fluxo de caixa pode te ajudar a obter uma perspectiva a longo prazo do seu controle financeiro, evitando possíveis adversidades. 

Sendo assim, sempre inclua todos os gastos e ganhos anotados  e, a cada fim de mês, busque realizar um comparativo para compreender os impactos e pontos positivos de cada período. 

Dessa forma, além de obter todos os registros organizados, você vai aprender a interpretar o que os números estão dizendo sobre o negócio e mudar a rota se for preciso!

Cadastre seus serviços
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.