Guia do profissional: Cuidador de idosos

imagem de uma cuidadora de idosos segurando a mão de um senhor. Ele segura uma bola, como se estivesse fazendo fisioterapia
7 minutos para ler

Para os cuidadores de idosos e os aspirantes à profissão: você sabia que a população brasileira está envelhecendo cada vez mais rápido?

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas com mais de 60 anos no país já é superior ao de crianças com até 9 anos de idade, formando 32,9 milhões de idosos em 2019.

Com o aumento demográfico da terceira idade e a elevação da expectativa de vida, a procura por profissionais da saúde aumenta, especificamente pelos cuidadores de idoso.

Pensando nisso, nesse conteúdo, preparamos um guia completo sobre ser cuidador de idoso, para que você entenda a profissão, conheça o mercado de trabalho e ainda receba dicas de como ser um excelente especialista. 

O que você precisa saber para ser um cuidador de idoso?

Sobre o cuidado

Antes de entender a profissão de cuidador de idoso, é necessário entender o que significa cuidado.

Cuidado é sobre atenção e preocupação, ou seja, representa o zelo de se dedicar a alguém ou algo. Cuidar envolve proteção, carinho e responsabilidade. 

Dessa forma, cuidar também é sobre perceber a outra pessoa: seus gestos, suas ações, suas limitações e sua capacidade.  

Cuidar de um idoso vai além da saúde física da pessoa cuidada, também é necessário levar em consideração o estado emocional e social.

A partir do momento que o cuidador possui uma visão mais holística, seu cuidado consegue ser individualizado, levando em consideração as particularidades e necessidades da pessoa idosa. 

Atribuições do cuidador

O cuidador de idoso é a pessoa responsável por auxiliar os cuidados de uma pessoa idosa no dia a dia. 

Dessa forma, suas atribuições podem variar de acordo com o estado de saúde e com o estilo de vida da pessoa cuidada, envolvendo a alimentação, os banhos, a administração dos remédios ou até mesmo as horas de distração. 

De acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), sob o código 5162, o cuidador é definido como alguém que zela “pelo bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer da pessoa assistida”.

Em relação ao campo de atuação, o cuidador de idoso pode ser contratado pela sua família para prestar ajuda profissional ao ente idoso. Entretanto, o profissional também pode atuar em asilos ou casas de repouso.

Em relação às suas atribuições, o cuidador deve: 

  • Estimular e, caso necessário, realizar as atividades diárias na vida do idoso, como:
    • higiene pessoal (banho e troca de fraldas);
    • higiene bucal (escovação dos dentes);
    • locomoção;
    • alimentação (preparação e ingestão das refeições).
  • Cuidar do vestuário e da aparência da pessoa idosa (unhas, cabelos, etc), dando sempre o direito de escolha ao idoso;
  • Manter os aposentos da pessoa idosa limpos e arrumados, como armário, guarda-roupa e cama, prevenindo acidentes e proporcionando qualidade de vida;
  • Estimular e participar de conversações com a pessoa idosa, ouvindo-a e incentivando seu diálogo;
  • Facilitar momentos de lazer e atividades físicas, acompanhando a pessoa idosa em seus passeios e participando dos seus exercícios, com a autorização de um profissional da saúde;
  • Ser a companhia do idoso, procurando atividades que o agradem e proporcionem alegria, como caminhar, tomar sol, fazer trabalhos manuais, escutar música, conversar ou qualquer outra atividade saudável que o idoso goste.
  • Acompanhar a pessoa cuidada em consultas médicas, tratamentos de saúde e exames, repassando para os médicos o estado do paciente, como mudanças de comportamento, humor ou alterações físicas (temperatura, pressão, sono, etc);
  • Administrar a medicação oral, ou seja, a dose e o horário prescrito pelo médico. Em relação a injeções, a aplicação deve ser feita por um profissional da área de enfermagem e nunca pelo cuidador;
  • Assistir o idoso em pequenos processos médicos, como medição de temperatura e aferição da pressão arterial, além de, se capacitado, interceder em momentos de urgência, fornecendo adequadamente os primeiros socorros.
  • Estimular a independência da pessoa idosa, incentivando que a pessoa cuidada realize suas próprias tarefas, respeitando seus limites;
  • Assegurar o bem-estar do idoso em um quadro geral, estando vigilante para ver se a pessoa está confortável, bem alimentada e medicada.

As responsabilidades e atividades do cuidador se estendem a todo o universo do dia a dia da pessoa cuidada, sendo essas algumas das tarefas rotineiras do profissional.

A importância do cuidador de idoso

cuidadora de idoso ajudando o idoso a usar um celular.

Como já conversado, ter uma pessoa de terceira idade em casa pode demandar muitos cuidados para além da saúde física, como também um olhar ao bem-estar psicológico e social.

Dessa maneira, as necessidades de uma pessoa idosa podem exigir muito tempo, pois envolve a supervisão de sua rotina e obrigações.

E, em uma época em que tempo livre está se tornando algo raro, um profissional qualificado é essencial para o processo.

Além disso, o período de envelhecimento para um indivíduo pode incluir dores, desconfortos e solidão. Por isso, com a dedicação e a companhia do cuidador, o idoso pode se tornar mais feliz, saudável e seguro.

Assim, o cuidador deve se preocupar em prevenir quedas, ser companheiro, acompanhar o idoso em atividades externas, ajudar nos cuidados pessoais e muito mais. 

Com esse suporte, é possível aumentar a qualidade de vida e a longevidade do idoso, estimulando o corpo e as atividades mentais e, até mesmo, a expressão artística da pessoa idosa.

Mas, porque trabalhar como cuidador de idosos?

Para além das suas atribuições, existem diversas razões para seguir a carreira de cuidar. E, para você que ainda está em dúvida, trouxemos algumas para te convencer.

5 razões para investir na carreira de cuidador de idosos! 

Se você está inseguro se deve seguir essa profissão, esses motivos podem dar o pontapé inicial.

#1 – É uma das profissões que mais crescem no Brasil

Em 2018, o Ministério da Saúde divulgou uma alta de profissionais em 547%, tornando-se a profissão que mais cresce no país. Colocando em números, o Brasil saiu de 5.263 cuidadores para mais de 36.000.

#2 – Os brasileiros estão envelhecendo

De acordo com o IBGE, a população idosa irá triplicar no Brasil até 2050, ultrapassando os 66 milhões. Dessa forma, o mercado tem pretensões de crescer ainda mais!

#3 – É uma profissão multidisciplinar

Como cuidador de idoso, você aprende sobre diversas especializações e áreas de trabalho diferentes, como nutrição, enfermagem, psicologia e direito. Esses aprendizados incluem conhecimentos técnicos, a exemplo de primeiros socorros, legislação e reanimação cardíaca.

#4 – A profissão é regulamentada pelo Congresso

Uma curiosidade: a profissão de cuidador de idoso não havia sido regulamentada até três anos atrás.

Apenas em 2019 a ocupação foi prescrita pelo Congresso Nacional e, inclusive, sua descrição inclui recomendações para aspirantes da área, como ter o fundamental completo e curso de qualificação (algo que veremos mais adiante). 

#5 – Possui qualificação acessível em relação a tempo e dinheiro

Desde 2019, para se habilitar e ser um cuidador é necessário um curso profissionalizante, que geralmente, dura apenas 3 meses e possui um custo-benefício sustentável.

Isso significa que é possível se capacitar em pouco tempo e de maneira acessível, algo que também falaremos mais à frente.

E se você já é um cuidador de idoso, aproveite para se cadastrar no GetNinjas e conseguir mais clientes!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.