Guia do profissional: psicólogo

18 minutos para ler

Mesmo que você nunca tenha feito terapia, deve conhecer gente que faz, que já fez ou que deveria fazer, pelo bem de todos. Brincadeira à parte, sabemos que terapia é coisa séria e que não é mais considerada só para “loucos”, “doentes dos nervos”, como um dia foi. 

Hoje em dia, é sabido que fazer terapia é uma forma de tratar o sofrimento psíquico e aprender a lidar melhor com os problemas. Isso vale para todos! Crianças, adolescentes, adultos e idosos. 

Mas, você sabia que existem diferentes linhas terapêuticas? 

E, ainda, que o psicólogo não trabalha só com isso?

Pois bem, tenho certeza que você vai descobrir muita coisa interessante sobre a profissão do psicólogo neste guia, especialmente se você se interessa pela saúde mental e pela qualidade de vida. 

O que faz um psicólogo?

O psicólogo é o profissional que estuda o comportamento e os processos mentais das pessoas. Podemos pensar em processos mentais como sendo as ideias, valores, emoções de cada um. 

Por meio deste estudo, o psicólogo tem condições de identificar e tratar questões internas do indivíduo que refletem no seu comportamento de forma negativa, ou seja, que impedem que ele tenha uma vida com qualidade. 

Ao realizar um trabalho de escuta do paciente, ou seja, daquele que o procura, o psicólogo consegue identificar, junto com o paciente, situações traumáticas, medos, receios, afetos que estão levando aquela pessoa a uma vida frustrada e infeliz.

Muitas vezes pensamos na psicologia como tratamento de um indivíduo, deslocado do social. Mero engano. O psicólogo, mesmo que trabalhando diretamente com uma pessoa em seu consultório, leva em consideração questões sociais, como gênero, raça, classe social que o paciente traz para a roda. Afinal, ninguém está sozinho no mundo. Para entender sobre o indivíduo, é preciso entender sobre a sociedade em que ele está inserido.

Com a pandemia, a profissão do psicólogo ficou ainda mais evidente, aliada à tecnologia. O atendimento online, por exemplo, se tornou legalizado pelo Conselho de Psicologia devido à alta procura por pessoas que se sentem sozinhas, com depressão, com medo, ansiedade etc. 

Deu para ver que o psicólogo pode fazer muitas coisas legais e atuar em várias áreas. 

O que você precisa saber para ser um psicólogo?

  • Existem várias áreas de atuação no mercado e a demanda por psicólogos é cada vez maior.
  • Se concursado, você pode receber um salário de mais de R$ 20.000,00 no início da carreira.
  • Quer empreender? O psicólogo clínico tem flexibilidade de horários, pode fazer atendimento online e tem liberdade para cobrar o quanto acha justo pelas atividades realizadas.

Áreas de atuação

Pincelamos, acima, algumas áreas de atuação do psicólogo, sendo a psicologia clínica a mais conhecida.

Conheça, a seguir, as principais áreas de atuação do psicólogo.

  1. Psicologia Clínica

Já falamos bastante sobre terapia ou psicoterapia. Pelas sessões de terapia, o psicólogo avalia o paciente e propõe um diagnóstico para ajudá-lo a compreender e superar conflitos emocionais e transtornos mentais que requerem maior cuidado. 

O psicólogo clínico pode aplicar testes da avaliação psicológica, dependendo da abordagem seguida.

Sim, existem várias linhas teóricas na área da Psicologia, como:

  • Behaviorismo ou análise do comportamento
  • Gestalt
  • Humanista ou Abordagem Centrada na Pessoa (ACP)
  • Psicologia corporal
  • Terapia sistêmica
  • Psicodrama

Além dessa, muitos psicólogos praticam a Psicanálise, que, diferentemente das outras linhas, não é tida como uma Ciência propriamente dita. Isso porque a teoria está centrada no inconsciente, em ideias e afetos que ficam reprimidos e que precisam ser trazidos à tona. 

Pois isso que para ser psicanalista, não é necessária a graduação em Psicologia, mas a formação em uma Instituição Psicanalítica, fazer a própria análise e ter um supervisor para acompanhamento dos casos. 

Leia também: Qual a diferença entre psicólogo e terapeuta?

  1. Psicologia Organizacional

Esta é a área que citamos: do psicólogo que trabalha no RH de empresas de médio a grande porte. 

É um trabalho mais estratégico, que envolve as seguintes atividades, entre outras:

  • Recrutamento e seleção
  • Aplicação de testes psicológicos
  • Treinamento e avaliação de desempenho dos colaboradores
  • Avaliação do clima organizacional 
  • Implementação de programas sobre qualidade de vida no trabalho
  • Consultorias
  1. Psicologia Hospitalar

Área que vem ganhando mais espaço. Nela, o psicólogo oferece apoio psicológico aos pacientes internados, tanto no sentido de ajudá-los a enfrentar a situação, quanto no sentido de tentar prevenir a formação de quadros psíquicos mais graves, como a depressão.

  1. Psicologia Escolar

O psicólogo tem espaço importante de atuação nas escolas. O objetivo é acompanhar os processos de aprendizagem no que diz respeito ao desenvolvimento socioemocional e cognitivo dos alunos. 

O psicólogo escolar também orienta alunos com conflitos familiares, transtornos emocionais, problemas de relacionamento com colegas, entre outros. 

Neste espaço, o psicólogo também conversa com alunos sobre dúvidas do que estudar na faculdade, por exemplo, por meio da orientação vocacional ou profissional.

  1. Psicologia Jurídica ou Forense

O psicólogo forense atua na área do Direito, com atividades do tipo:

  • Fornecimento de laudos que servem como provas na sentença dos casos
  • Formulação do perfil psicológico
  • Avaliação mental de acusados
  • Apoio psicológico às vítimas
  • Avaliação de veracidade de depoimentos
  1. Psicologia do Trânsito

O psicólogo também pode atuar nos departamentos de trânsito e centros de condutores de veículos, especialmente para avaliar as condições cognitivas e comportamentais dos motoristas. Faz isso pela aplicação e análise de testes chamados de psicotécnicos.

  1. Psicologia social

O psicólogo social está voltado ao estudo do ser humano na sociedade, para compreender como vivemos e nos comportamos em grupos. Nets sentido, há muitos campos de trabalho, como:

  • Instituições privadas
  • Organizações do terceiro setor
  • Centros de referência em atenção social, etc.

Mercado de trabalho

Como deu para ver, o mercado de trabalho para o psicólogo é bastante amplo. 

Além das áreas de atuação mais conhecidas, o psicólogo pode:

  • Trabalhar com Pesquisa em Universidades ou outras instituições acadêmicas
  • Continuar com a formação acadêmica e dar aulas
  • Trabalhar com marketing
  • Fazer especialização para trabalhar com públicos específicos, como os idosos, ou com áreas específicas, como psicomotricidade ou psicopedagogia

Atualmente, as áreas com maior empregabilidade são:

  • Psicologia do idoso
  • Orientação profissional
  • Recursos Humanos
  • Neuropsicologia
  • Comportamento do consumidor
  • Psicologia escolar
  • Psicologia clínica

Você já conheceu algumas delas aqui. Interessado em saber mais sobre as outras? 

Importante lembrar que o que sendo valorizado, nos dias de hoje, pode não ser tão valorizado em um futuro próximo. Por isso, busque uma área que você goste e que tenha a ver com teu perfil. E, claro, que seja financeiramente viável.

Vamos dar uma olhada na média salarial do psicólogo.

Qual a média salarial da profissão

Os psicólogos com vínculo empregatício recebem, em média, conforme o cargo:

  • Administração pública, R$ 3.116,00
  • Atividades de atendimento hospitalar, R$ 2.636,09
  • Atividades de associações de defesa de direitos sociais, R$ 2.557,42
  • Planos de saúde, R$ 2.483,42
  • Atividades de atendimento em pronto-socorro e unidades hospitalares para atendimento a urgências, R$ 2.455,75

Se pensarmos em termos de especializações, veja quanto o psicólogo ganha, em média:

  • Psicologia hospitalar, R$ 3.574,00
  • Psicologia social, R$ 3.353,00
  • Psicologia clínica, R$ 2.965,00
  • Psicologia educacional, R$ 2.653,00
  • Psicologia organizacional, R$ 2.651,00

Agora, um psicólogo concursado começa a ganhar um salário de R$ 21.347,32, se trabalhar no Senado Federal.

Conheça outros salários iniciais para psicólogos concursados:

  • Prefeituras, entre R$ 2.000,00 a R$ 5.000,00
  • Marinha, R$ 6.625,00
  • Tribunais, R$ 8.000,00
  • Exército, R$ 8.065,00
  • Aeronáutica, R$ 8.245,00

O nível de formação influencia na remuneração final do concursado. Por isso, títulos de especialização, mestrado e doutorado são muito bem-vindos.

Há os casos em que o psicólogo não recebe salário, como em consultório. Para esses casos, o Conselho Federal de Psicologia (PFP) estabeleceu uma Tabela de honorários por atividades, atualizada anualmente. 

Essa tabela inclui todas as atividades que podem ser realizadas pelos psicólogos e propõe o valor mínimo, mediano e máximo. Os valores vão de R$ 100,00 a R$ 560,00, dependendo da atividade, sendo a consultoria empresarial a mais valorizada. 

Por que trabalhar como psicólogo?

Vamos citar, aqui, 7 motivos pelos quais vale a pena ser psicólogo:

  1. Ampla área de atuação
  2. Ser dono do próprio negócio
  3. Estudo de diversas áreas do conhecimento
  4. Busca crescente por profissionais de psicologia
  5. Combate às doenças relacionadas à mente e promoção da qualidade de vida coletiva
  6. Autoconhecimento e tratamento dos próprios sofrimentos psíquicos
  7. Possibilidade de se tornar um pesquisador e receber por isso

Ao ingressar em um curso de psicologia, você vai estudar diversas disciplinas de áreas que abrangem o pensamento, como a Filosofia, até áreas voltadas ao funcionamento do corpo humano, como Biologia e Química. Neurologia e Matemática também entram no currículo. 

O interessante é que você vai estudar sobre o ser humano, logo, vai começar a pensar mais sobre si mesmo. Isso não quer dizer que basta cursar psicologia para entender de si. Muita gente tem essa impressão, mas esse não é o propósito de uma formação acadêmica. De qualquer forma, funciona como um pontapé para que você busque o autoconhecimento e, de quebra, se torne mais empático.

Pré-requisitos para esta profissão 

Independente da linha teórica e do campo de atuação, o psicólogo precisa ter características e habilidades que são fundamentais para o exercício da profissão.

Pelo que você leu até aqui, saberia enumerar algumas?

Veja se o que você pensou consta na nossa lista:

  • Manter o sigilo profissional sobre assuntos da terapia
  • Respeitar limites da atuação
  • Ter capacidade de raciocínio abstrato
  • Ser imparcial 
  • Saber escutar de forma ativa
  • Saber contornar situações adversas
  • Ser empático
  • Saber se comunicar
  • Ter a mente aberta
  • Saber se relacionar 
  • Ser bom observador

Para continuar compondo o perfil de um bom psicólogo, é importante que ele goste de estudar e de se manter sempre atualizado. Descobertas sobre o corpo e a mente humana surgem a toda hora, pois há profissionais de outras áreas e outros enfoques que também trabalham com o mesmo objeto de estudo. 

Fazer parte de grupos de estudos interdisciplinares e com colegas de outras áreas de formação também pode ser muito valioso, especialmente se o psicólogo estiver trabalhando com Direito ou Educação.

Formação desejada

Para poder exercer a profissão, o psicólogo precisa ter feito um curso de graduação em Psicologia aprovado pelo MEC e estar com a inscrição ativa no Conselho Regional de Psicologia do Estado em que trabalha. 

Dependendo da instituição de ensino e do curso de graduação, existem 3 possibilidades de habilitação:

  1. Bacharelado, com foco na formação de um pesquisador e com duração média de 4 anos e meio
  2. Licenciatura, com foco na formação de profissionais para trabalhar em instituições de ensino e com a mesma duração média
  3. Formação de Psicólogo, mais ampla, prepara o profissional para trabalhar em diversos campos e tem duração de 5 anos e meio

Algumas universidades e faculdades oferecem o curso em turno integral. Outras, em período noturno. Ainda não existe a oferta de curso de graduação em Psicologia em EaD. Mas você encontra alguns cursos de pós nessa modalidade, como o de Psicologia Organizacional. 

Apesar de variar conforme a instituição, veja quais são as disciplinas mais comuns da grade curricular:

  • Avaliação Psicológica
  • Clínica Psicanalítica
  • Desenvolvimento Humano e Aprendizagem
  • Estudos sobre Deficiência
  • Gênero, Corpo e Sexualidades
  • Método Clínico
  • Neuropsicologia
  • Políticas Públicas, Direitos Humanos e Práticas Psicossociais
  • Processos de Ensinar e Aprender
  • Processos Psicológicos na Infância, Adolescência e Juventude
  • Psicologia Comportamental
  • Psicologia de Base Fenomenológica
  • Psicologia do Esporte
  • Psicologia do Trabalho
  • Psicologia e Atenção à Saúde
  • Psicologia e Pessoas com Deficiência
  • Psicologia Jurídica
  • Psicopatologia
  • Sociedade e Loucura
  • Teoria e Técnicas Psicoterápicas

Além das disciplinas teóricas, mais expositivas, várias atividades são desenvolvidas em laboratórios e em práticas de observação. Para todas as habilitações, o estágio é obrigatório. Os estágios são realizados em hospitais, escolas e em espaços de atendimento clínico à sociedade, por exemplo. 

Até aqui, deu para perceber que é uma formação puxada e que demanda muito tempo de dedicação. Mas se você curte a área e quer fazer desse mundo um mundo melhor, então, siga em frente.

Dicas

Conheça nossas dicas de como ser um profissional de sucesso e dos melhores livros da área psi.

Como ser um profissional de sucesso

Confira nossas dicas do que priorizar quando estiver pensando em sua carreira:

  • Escolha uma faculdade ou universidade de qualidade
  • Faça uma especialização em uma área em expansão, mas que tenha a ver com seus objetivos
  • Use aplicativos para organização de sua agenda e registro de pacientes
  • Use as redes sociais como estratégia de marketing. Produza e compartilhe conteúdo da sua área para ser visto e reconhecido por pessoas interessadas. 
  • Fortaleça sua habilidade de comunicação
  • Tenha empatia ao exercer seu trabalho
  • Crie uma boa rede de contatos

Agora conheça a lista dos melhores livros na área.

Melhores livros

Pode parecer pretensão estabelecer, assim, uma lista dos que foram considerados os melhores livros na área, até porque não dá para citar tantos e, com certeza, estaríamos sendo injustos com os esquecidos.

Mas como precisamos escolher, seguem nossas recomendações de leitura:

  1. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais, de Paulo Dalgalarrondo
  2. Terapia cognitivo-comportamental, de Judith S. Beck
  3. Introdução à psicologia junguiana, de Calvin S. Hall e Vernon J. Nordby
  4. Introdução às obras de Freud, Ferenczi, Groddeck, Klein, Winnicott, Dolto, Lacan, de J.-D. Nasio
  5. História da Psicologia Moderna, de Duane P. & Sydney Ellen Schultz
  6. Introdução à psicologia: temas e variações, de Wayne Weiten
  7. Rápido e devagar: duas formas de pensar, de Daniel Kahneman
  8. Princípios básicos de análise do comportamento, de Márcio Borges Moreira e Carlos Augusto de Medeiros
  9. Treino de funções executivas e aprendizado, de Ana Paula Pissarra Marques, Alison Vanessa Morroni Amaral, Telma Pantano
  10. Inteligência emocional, de Daniel Goleman

Veja que tem para todos os gostos ou linhas teóricas. São livros mais introdutórios ou que contextualizam cada linha. Super interessante, especialmente para quem está começando seu percurso na área.

Boas práticas de como ser um profissional: atendimento online

Com a pandemia, a demanda por atendimento online cresceu em demasia. Por isso, e como não podemos falar das boas práticas em tantas áreas de atuação, vamos dar dicas de como o psicólogo pode se apresentar na plataforma por ele escolhida e em como criar um bom espaço de acolhimento para quem está procurando.

Faça um bom perfil

  • Escolha uma foto adequada, com expressão natural, simpática
  • Adicione informações sobre serviços prestados, preço do atendimento e horários disponíveis para agendamento online
  • Escreva sobre como funciona a primeira consulta
  • Escreva sobre sua linha teórica ou abordagem e formação 
  • Adicione fotos de seus diplomas e certificados
  • Se possível, acione a funcionalidade de perguntas privadas, para tirar eventuais dúvidas
  • Adicione fotos do seu consultório 

Crie um espaço de acolhimento

  • Mantenha sua agenda atualizada e fique atento a todas as movimentações
  • Contate o paciente assim que agendada a primeira consulta para dar as boas-vindas e confirmar o horário da sessão
  • Avise o paciente que você já está disponível para iniciar a sessão, que chegará em breve ou que vai atrasar um pouco
  • Na primeira consulta, fale sobre os benefícios do atendimento online
  • Mantenha registro dos pacientes e das consultas para controle
  • Entre em contato com pacientes que não agendaram mais consultas para saber o que está acontecendo
  • Saiba lidar com imprevistos, como a queda de sinal e barulhos externos, por exemplo
  • Atualize seu perfil, sempre que preciso, e fale sobre seu trabalho por vídeos ou textos

Essas são algumas práticas eficientes para lidar com atendimento online, novidade para muitos psicólogos.

Antes de finalizar, conheça alguns termos técnicos da profissão.

Glossário da profissão

Como já é sabido, os termos mais utilizados estão ligados à área de atuação.
Resolvemos contemplar os termos técnicos que dizem respeito à mente humana e às relações entre pessoas.

Abuso – Ato que um indivíduo comete contra o outro ou outros, como: privação de bens e afeto, humilhação psicológica, maus tratos físicos e mentais, aprisionamento, agressão sexual. 

Abuso sexual – Não consentimento da criança na relação sexual com o adulto, por meio de coerção ou jogos de sedução perpetrados pelos adultos. Exemplos: carícias, o contato com a genitália, a masturbação e a relação sexual vaginal, anal ou oral.

Afeto – Emoção que se exprime e que se observa de imediato, pela expressão facial, gestos e timbre de voz, por exemplo. Os afetos podem estar retraídos ou serem inadequados, quando estão em desacordo com a situação, o discurso ou o pensamento. 

Agitação psicomotora – Atividade motora excessiva associada à tensão emocional, geralmente é improdutiva e repetitiva. A agitação psicomotora é um forte indício de alteração emocional. Geralmente ocorrem em função de situações de estresse que o indivíduo não consegue dar conta.

Alteração do comportamento – Modificação acentuada de determinadas manifestações comportamentais, geralmente causados pela dificuldade em lidar com os fatos do ambiente psicossocial.

Alucinação – Percepção sensorial sem estímulo do órgão sensorial correspondente. A pessoa com alucinação tem o senso imediato de que a sua percepção é verdadeira e absoluta. Pode indicar um distúrbio psicótico quando associadas a deficiência de prova da realidade. 

Análise funcional do comportamento – Análise de como os indivíduos atuam em seu ambiente, identificando os estímulos que provocam o aparecimento do comportamento-alvo e as consequências que o mantém.

Ansiedade – Apreensão, tensão, mal-estar causado por antecipação de perigo interno ou externo. 

Aprendizagem – Processo de apropriação ativa do conteúdo da experiência humana conhecida e vivida.

Comportamento divergente ou desviante – Procedimento ou o conjunto de atitudes e/ou reações do sujeito em face ao seu meio social, que evidencia uma discordância, desacordo, discrepância ou dissensão. 

Compulsão – Tendência à repetição.

Delírio – Falsa crença baseada na percepção distorcida que a pessoa faz da realidade. 

Depressão – Abaixamento do nível de energia psíquica causado por pressão ambiental, doença ou lesão. 

Estressores psicossociais – Valores ou circunstâncias do ambiente capazes de perturbar o comportamento do indivíduo ou exacerbar um transtorno psíquico. 

Hipercinese – Atividade motora excessiva e agressiva, geralmente ligada a alguma patologia ou organicidade.

Homofobia – Medo do homossexualismo. 

Homossexualismo – Relacionamento sexual com o parceiro do mesmo sexo.

Imagem corpórea – A imagem que elaboramos mentalmente de nosso corpo. 

Moral – A relação de direitos e deveres entre as pessoas de um grupo, controladas pela convivência grupal.

Pedofilia – Um tipo de perversão em que há constância de fantasias e desejos sexuais específicos com crianças. 

Perversão – A perversão é uma estrutura psicopatológica caracterizada pelos desvios de objeto e finalidade sexuais. A pessoa portadora de perversão sente-se atraída por aquilo que é pessoalmente ou socialmente proibido e inaceitável.

Psicogênico – Eventos da vida, dificuldades, doenças ou desvios de comportamento originados em questões psicológicas pessoais, sociais e familiares.

Psicossomático – Transtorno no corpo proveniente de transtorno no aparelho psíquico.

Sexualidade – Conceito complexo que tem a ver com a escolha do parceiro sexual quanto ao seu sexo, a identificação psicológica da pessoa com o sexo feminino ou masculino, independentemente de seu sexo biológico e com o modo de atividade utilizado para obter a satisfação sexual.

Transgressão – Ato ou efeito de transgredir, infringir, violar.

Transtorno do comportamento – Quadro complexo e inter-relacionado de problemas orgânico-neurológicos e do desenvolvimento psicológico. 
Se você se interessou pela profissão ou já é psicólogo e não sabe por onde começar, cadastre-se no GetNinjas e consiga seus primeiros pacientes!

Você também pode gostar

Um comentário em “Guia do profissional: psicólogo

Deixe um comentário