6 passos para determinar o valor do seu serviço

8 minutos para ler

Vamos supor que você tenha aberto um MEI com o intuito de vender o seu serviço. Para isso, verificou se os serviços prestados por você estão dentro da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e se você atende aos critérios estabelecidos para ser MEI. 

Estando tudo de acordo, e com a empresa aberta, você está pronto para começar a vender os seus serviços e já tem até uma lista de clientes prontos para comprar seus produtos. 

Mas é claro que há muito o que se fazer quando se tem uma empresa. Visando o sucesso da comercialização de algum serviço ou produto, é preciso fazer seu marketing virtual, tratar das finanças, entender da concorrência e assim por diante.

Antes de se lançar no mercado, você precisa saber, por exemplo, quanto cobrar pelo seu produto ou pela execução de um serviço. Saber colocar um valor no que se faz vale para todo mundo, especialmente para os donos do próprio negócio. 

Quem não tem um amigo que faz tudo de graça ou que acaba cobrando muito pouco para não se estressar, nem causar qualquer tipo de conflito? 

Muita gente não sabe cobrar pelo trabalho que faz, o que, com raras exceções, acaba desvalorizando o serviço e a autoestima, além de tornar a vida ainda mais difícil. 

O contrário também é válido. Quando se pretende cobrar muito pelo serviço ou produto, há grandes chances de não ter clientela suficiente para manter o negócio em funcionamento. 

Neste texto, você vai aprender a determinar o valor do seu serviço, tendo em vista o preço de venda, os tipos de valor de um produto e a diferença entre concorrência e margem de lucro.

Isso é extremamente importante para que você se insira no mercado e tenha uma margem de lucro necessária para se manter dentro dele de forma saudável.

Então, vamos à primeira pergunta.

Você sabe o que é preço de venda?

Preço de venda é o valor que o cliente, consumidor ou usuário vai pagar pelo serviço consumido ou produto comprado. 

Vamos exemplificar: é o preço do leite no mercado, o preço de uma massagem ou daquela bolsa de tricô super fashion.

Deve ficar claro, desde já, que dar um valor ao seu produto ou serviço não remete apenas ao lucro, apesar de ele ser fundamental. Sem lucro, não há como seguir adiante. 

Para isso, é preciso:

  • Calcular o custo do produto ou serviço
  • Avaliar um preço final que cubra os gastos
  • Estar dentro do preço de mercado ou da concorrência
  • Gerar lucro para a venda

Isso em termos gerais, lembrando que cada negócio tem suas próprias características, assim como cada tipo de empresa. Portanto, essas especificidades precisam ser observadas e elencadas. 

Como calcular o custo de um produto

Vamos utilizar o exemplo da bolsa de tricô para explicar melhor o que deve ser levado em consideração para calcular o custo de um produto. Ainda de acordo com esse exemplo, estamos imaginando uma loja física, com suas especificidades. 

Quanto vou gastar para produzir uma bolsa de tricô? 

Nisso, poderiam ser considerados os seguintes gastos, entre outros:

  • A compra de materiais necessários para a produção da bolsa, como agulhas, lã, fita métrica, régua, tesoura, marcadores de pontos, etc.
  • O local onde você vai trabalhar. Se decidir trabalhar em casa, vai economizar no aluguel, contas de água e luz, deslocamento, etc. Mas se a ideia for abrir um espaço para atrair mais clientes, precisa considerar o valor deste investimento 
  • A infraestrutura, pois mesmo trabalhando em casa, você precisará ter recursos para a produção e para a administração do seu negócio, como máquinas de costura diferenciadas, computador, mesa, cadeiras, bancada de serviço, entre outros
  • Custo com funcionário, se houver, de acordo com os direitos trabalhistas
  • Impostos e taxas

Se fosse uma loja virtual, outros aspectos teriam que ser considerados enquanto gastos. Por isso, é importante ao gestor, que pode ser a própria costureira, identificar que existem 3 tipos de gastos:

  1. Despesa, que diz respeito ao valor que se gasta para comercializar o produto ou o serviço
  2. Perda, que diz respeito aos gastos que não estavam previstos
  3. Custo, que é o valor que sua empresa gasta para produzir determinado produto ou oferecer um tipo de serviço

Mas por que é importante saber a diferença entre eles? Para entender onde está o problema e como solucionar o que foi encontrado. Também para focar no custo do produto, excluindo os outros gastos, que é o que nos interessa aqui.

Tipos de custos

Existem 2 tipos de custos que influenciam diretamente no valor do produto:

  • Custos fixos: estes são os gastos fixos, como o aluguel. Fazem parte dos custos fixos, os custos diretos e indiretos. 
  1. Custos diretos: gastos que incidem diretamente na produção, como mão-de-obra e matéria-prima.
  2. Custos indiretos: gastos que não incidem diretamente sobre o produto, como a limpeza do ambiente, energia elétrica, almoxarifado.
  • Custos variáveis: estes são os gastos que variam conforme volume da produção e de vendas, incluindo ações promocionais e sazonalidade.

Como você já viu, é necessário ter na ponta do lápis o valor exato dos gastos na produção para poder calcular o valor de venda do seu produto.

Agora que você já sabe quais são seus gastos, é importante saber qual o preço médio da venda de um produto similar ao seu.
Vamos imaginar que o produto seja a venda da bolsa de tricô. O valor da bolsa deve ser igual ao custo das matérias-primas ou hora de serviço somadas aos custos fixos e variáveis. 

O cálculo dos gastos para a produção de 1 bolsa seria a soma do valor proporcional de:

  • Material de costura = R$ 10,00
  • Costureira = R$ 5,00
  • Custos fixos = R$ 5,00
  • Funcionário = R$ 5,00

Você gastaria uma média de R$ 25,00. Mas como calcular o lucro?

Diferença entre concorrência e margem de lucro

Para calcular o lucro, você precisa considerar por quanto seus concorrentes diretos vendem bolsas de tricô ou bolsas semelhantes. 

Vamos supor que seus concorrentes diretos cobrem R$ 40,00 pela bolsa. Se você estiver começando seu negócio, o ideal seria cobrar um pouco menos, como R$ 35,00, o que te daria uma margem de lucro de 40% com a possibilidade de atrair mais clientes.

A margem de lucro precisa ser suficiente para:

  • Reinvestimentos necessários
  • Perdas inesperadas 
  • Manutenção de sua empresa

Ciente da relação entre o preço da concorrência e considerando a margem de lucro necessária, você tem as condições para vender um produto com um valor competitivo.

E o valor do seu serviço?

Há uma diferença fundamental quanto ao valor do serviço, pois o que se vende é a mão de obra ou o conhecimento intelectual e o tempo investidos pelo profissional na realização do serviço, além dos outros gastos citados acima.

Agora, imagine que a costureira tenha sido contratada por uma empresa de eventos para produzir 100 bolsas de tricô. 

Quanto ela vai cobrar pelo seu serviço, adicionado ao valor calculado do produto?

Conheça 6 passos para saber quanto cobrar pelo seu trabalho:

  1. Reconheça o quanto vale: faça uma pesquisa no mercado para ver quanto pagam pela sua função, considerando seu tempo de experiência;
  2. Fique de olho no valor da concorrência: faça uma pesquisa para saber quanto os costureiros ganham, tendo em vista tempo de experiência e tendências do mercado;
  3. Quanto você precisa? Estabeleça seu valor tendo em vista seus gastos, especialmente se essa for sua única fonte de renda. Não esqueça de acrescentar uns 30% no valor cobrado, referente à carga tributária;
  4. Saiba quanto você gasta para executar seu trabalho, ou seja, o que vimos até aqui sobre os custos com a produção ou realização de um serviço;
  5. Calcule a hora do seu trabalho, tendo em mente os custos e a falta de benefícios que um salário te dá;
  6. Acrescente a margem de lucro.

Essa é uma visão geral do que está envolvido na precificação ou valoração, tanto dos produtos comercializados quanto dos serviços disponibilizados. Vale lembrar, novamente, que o preço estipulado vai depender de diversos fatores, como:

  • Loja física ou loja virtual
  • Localização do empreendimento, ou seja, cidade em que o serviço será ofertado ou o produto será vendido
  • Tipo de empresa, ou seja, o que vai ditar quantidade e tipos de impostos e taxas
  • Número de funcionários
  • Valor e disponibilidade da matéria-prima
  • Número de concorrentes e qualidade ofertada

Portanto, se você estiver a fim de se lançar no mercado, faça uma boa pesquisa de mercado e calcule a média de gastos que você terá para botar seu negócio na rua. Se lançar no mercado com um preço justo e competitivo, oferecendo um produto ou serviço de qualidade, é um excelente começo. 

Saiba mais:

Você também pode gostar

Deixe um comentário