Como conquistar e cativar seu cliente

9 minutos para ler

Aqui você vai ler sobre como atrair, conquistar e encantar seu cliente. Vai ser um texto bem direto mesmo. 

A proposta é mostrar ferramentas e recursos que vão te ajudar, de forma estratégica, a ser visto e escolhido pelas pessoas que têm interesse no seu negócio. Vamos lá?

Conheça seu público-alvo

Como hoje em dia existe ferramenta para tudo, ou quase tudo, cabe a nós saber fazer bom uso delas. Se você estiver abrindo uma empresa ou iniciando um negócio, você precisa saber, em primeiro lugar, quem vai comprar o que você está vendendo. Esse é o trabalho de segmentação do público para encontrar a buyer persona, ou apenas persona. Buyer persona significa, literalmente, pessoa compradora. 

Mas essa ferramenta não vai te dar apenas informações básicas sobre o perfil de seu cliente em potencial, como gênero, faixa etária e grau de escolaridade. Com a construção da persona, você vai saber:

  • Como essa pessoa se comunica
  • Quais canais essa pessoa utiliza
  • O que ela está buscando ou deseja
  • Quais suas motivações, preocupações e desafios

Essas informações vão além de indicativos numéricos, por englobarem muito mais do comportamento das pessoas em relação ao consumo. Neste sentido, vão te dar uma representação fictícia do seu cliente ideal.

Com esses dados em mente, você vai poder criar estratégias muito mais certeiras para atrair, conquistar e cativar seu cliente, numa relação de ganha-ganha. Você precisa de clientes para manter seu negócio em funcionamento e, em troca, seu cliente vai ficar feliz por adquirir uma solução para resolver seu problema. 

Mas como atrair e encantar um cliente em potencial? Como a persona vai saber que seu negócio existe e é perfeito para ela?

Em primeiro lugar, você precisa apresentar o seu negócio.

Use estratégias de marketing

Muita gente estuda o funcionamento do mercado na Internet para entender quais estratégias servem para te levar ao seu consumidor potencial. Há várias maneiras de fazer isso. Todas testadas. Isso quer dizer que, se você souber exatamente em quem você quer chegar para oferecer seu serviço ou produto, não vai ser preciso dar nenhum tiro no escuro e esperar que alguém responda ao teu chamado.

Ao contrário. Basta conhecer e aplicar as estratégias que mais têm a ver com o seu negócio, adaptando o que for preciso. 

Mas por que mesmo investir em marketing digital?

Simplesmente por ser o investimento mais garantido. Além de te dar um retorno sem precisar de muito investimento (financeiro e mental), tua campanha pode atingir muita gente e de forma segmentada, ou seja, chegar até as pessoas certas. Ao invés do tiro no escuro, seria mais um tiro ao alvo. 

Isso não quer dizer que você não possa implementar ações do marketing offline, como complemento, desde que façam parte do planejamento geral com a finalidade de atrair e conquistar clientes. 

Estratégias de marketing digital

  1. Crie um blog ou um site para seu negócio

Você sabia que quase todas as pessoas, 90% delas, em termos exatos, só escolhem uma marca depois de pesquisarem sobre ela no Google? É muita gente! Por isso, não tem como escapar da esfera digital se você quiser apresentar o seu negócio.

O blog tem diversas vantagens:

  • Apresenta seu negócio ou sua empresa de forma detalhada e com indicação de contato
  • Gera autoridade por meio da disponibilização de conteúdo de qualidade sobre o serviço ou produto, ou ainda, a solução oferecida
  • Atrai pessoas que estão realmente interessadas no seu negócio, mesmo que estejam ainda na etapa da pesquisa
  • Facilita o processo de venda
  • Oferece um espaço de diálogo com o possível cliente

Blogs têm se mostrado como ótimas ferramentas de captação de clientes. 

  1. Faça um perfil em redes sociais

Além do blog ou site, é preciso marcar presença nas redes sociais. Escolha a que tem mais a ver com sua persona e com seu negócio e invista nela. Mas não vale colocar qualquer coisa lá, apenas para constar. Invista em um perfil completo e em conteúdos relevantes e interaja com seus seguidores ou com quem aparece por lá. 

O Instagram é mais usado para publicação de imagens, como vídeos e fotos. A criação de um perfil profissional permite que você tenha acesso ao retorno obtido com suas postagens. Se as coisas não estiverem muito bem, dá para mudar de rumo. O Instagram oferece vários recursos interessantes, como o stories, hashtags e comentários para favorecer a interação.

O Facebook é a rede social com o maior número de usuários no Brasil. Isso quer dizer que há grandes chances do seu público-alvo frequentar aquele espaço. O objetivo aqui é ser encontrado e oferecer conteúdo com alguma utilidade. Para isso, faça um perfil comercial com boa configuração e publique conteúdo original, conteúdo de interesse do cliente em potencial e conteúdo autopromocional, numa proporção de 70%, 20% e 10%, respectivamente. Com essa estratégia, há boas chances de conversão do cliente em potencial para cliente efetivo. 

O LinkedIn, apesar de não ser tão popular como o Instagram e o Facebook, por exemplo, vale por ser uma plataforma em que as pessoas buscam recolocação no mercado e recomendações. 

  1. Não esqueça do SEO

O que pouca gente sabe é que existe uma ferramenta chamada Search Engine Optimization que promove as páginas da Internet nos primeiros lugares no Google. Isso quer dizer que se alguém estiver buscando alguma solução oferecida pela sua empresa, ela vai aparecer na lista de resultados seguindo critérios de relevância.

Há empresas que trabalham com técnicas de SEO e que podem te ajudar a chegar na melhor posição possível. 

Outra opção é investir em anúncios para aparecer no topo do Google. A vantagem do bom uso da ferramenta SEO é não precisar pagar nada para ser encontrado por quem está navegando em busca de uma solução como a sua. 

  1. Conteúdo em vídeo

O YouTube é a principal plataforma de vídeos no Brasil. Se seu público-alvo for jovem ou tiver um perfil que tem tudo a ver com o consumo de vídeos, vale investir na produção de vídeos e na construção de um canal. Talvez, para isso, seja importante contar com o conhecimento de profissionais de produção e edição de vídeos, por exemplo. Faça isso. Vale criar um canal com uma identidade que tenha a ver com quem você quer atrair. Tutoriais e webinários são boas propostas para mostrar o valor do seu negócio. 

Confira também: Marketing pessoal: entenda como vender melhor o seu peixe

Estratégias de marketing offline

Quanto ao marketing offline ou em espaço físico, faça bom uso da vitrine. Muita informação pode não dizer nada. O destaque vai para novidades e itens promocionais. 

Aqui o atendimento ao cliente é ainda mais importante, por haver uma interação direta com o cliente, corpo a corpo. 

O que quero dizer é que nas interações virtuais, você não precisa responder imediatamente, nem estar com um sorriso estampado no rosto. Aliás, muita gente presta atendimento online aos clientes de pijama, em home office, no conforto de suas casas. 

Apesar dessas diferenças, algumas dicas valem para os dois tipos de atendimento porque dizem respeito a efetuar uma boa relação, necessária para captar e fidelizar sua clientela.

Faça um bom atendimento

Seja atencioso 

Quem nunca passou pela experiência de entrar em uma loja para dar uma olhada numa coisa e ser incomodado por um atendente ou até mais de um? Experiência terrível, já no início. 

Receba bem quem está chegando, se disponibilize, tire dúvidas. Tente deixar a pessoa à vontade para conhecer o ambiente, saber onde está pisando. Seja simpático, tenha bom humor. Afinal, é a pessoa que está chegando em um ambiente muitas vezes desconhecido e o que ela espera, minimamente, é ser bem recebida.

O atendimento online também deve ser feito com cuidado. Entenda um pouco sobre o que a pessoa procura, dúvidas e reclamações. Se colocar no lugar dela também ajuda. Tente não se apressar para resolver tudo rapidamente. Aliás, conforme o ditado, a rapidez é inimiga da perfeição. O objetivo aqui é conquistar clientes, portanto, um bom atendimento é essencial.

Saiba ouvir

Muitas vezes, as pessoas entram na loja pelas promoções na vitrine. Mas, ao experimentar ou ver o produto mais de perto, não ficam satisfeitas. Escute o que a pessoa tem a dizer. O que não curtiu, o que gostou. Dê opções. Fale mais sobre o produto, sobre outras qualidades que passaram despercebidas ou sobre outras maneiras de fazer uso dele. O mesmo vale para o atendimento online. 

Não tente vender o que é mais caro ou empurrar uma solução não tão adequada. O cliente sente que está enganado. Isso é péssimo para o seu negócio.

Você sabia que metade dos consumidores mudam de empresa, marca ou negócio depois de uma experiência ruim?

A experiência do cliente começa com a descoberta do produto e continua mesmo depois que o produto tenha sido adquirido, com as ações que cabem ao pós-venda, como a solicitação de avaliação do produto, por exemplo. 

Escute o que seu cliente quer e ofereça produtos mais baratos se eles tiverem mais a ver com o que o cliente deseja. A fidelização do cliente vale muito mais do que a compra de um produto mais caro.

Saiba mais:

Você também pode gostar

Deixe um comentário