Vale a pena fazer empréstimo para investir no negócio?

9 minutos para ler

Pessoas lidam de maneiras diferentes com empréstimos. 

Existem aquelas pessoas que odeiam se sentir endividadas, as que lidam melhor com isso e as que lidam tão bem com empréstimos que vivem à base deles. 

Em relação ao primeiro perfil, a ideia de pedir dinheiro emprestado já remete ao fato de estar devendo e de ter que dar um jeito para pagar. Rola uma pressão. E o jeito é aprender a lidar com isso da melhor maneira possível. 

Em relação ao segundo, muitas vezes é preciso pedir dinheiro emprestado para parentes, amigos e/ou instituições financeiras, para arcar com imprevistos, como problemas de saúde, desemprego, etc. Estes geralmente sabem lidar melhor com isso. 

E há, ainda, aqueles que perdem o controle quando o assunto é dinheiro. Conseguem empréstimos, usufruem do dinheiro, mas não se planejam para efetuar o pagamento. Conclusão? Além de terem que pagar um valor muito maior do que o recebido no empréstimo, ou nos empréstimos, e quanto mais o tempo passa, maior fica a dívida, provavelmente entrarão em conflito com familiares e amigos e certamente terão o nome sujo na praça, conhecida como mercado. 

Pedir dinheiro emprestado ou recorrer a empréstimos tem suas consequências, pois, como sabemos, nada vem de graça ou, conforme ditado popular, dinheiro não nasce em árvore. 

E se você quiser abrir ou for dono de um negócio? Vale fazer empréstimo para investir no seu sonho? Para investir em maquinário inovador e necessário? Para permanecer como forte concorrente no mercado?

É isso o que você vai descobrir neste texto, sabendo, de antemão, que alguns cuidados serão necessários.

Quando pegar um empréstimo?

Vamos começar pelos cuidados. 

Antes de pesquisar sobre os melhores tipos de empréstimos e qual tem mais a ver com o seu negócio, você precisa ter certeza de que o empréstimo é necessário para atingir seu objetivo. 

Se você estiver abrindo uma empresa ou começando um negócio novo, já deve ter feito um planejamento condizente com a avaliação de suas finanças.

Este planejamento não diz respeito apenas às finanças, mas a todo o Plano de Negócio, que inclui, entre outros:

  • Pesquisas de mercado, incluindo concorrentes e fornecedores
  • Pesquisas sobre público-alvo
  • Estratégia de marketing
  • Quantia necessária para começar 
  • Fatores de risco
  • Liquidez do investimento
  • Rentabilidade do investimento
  • Tempo para retorno financeiro

Isso tudo para entender se seu negócio tem chances de dar certo ou o quão rentável ele pode ser. 

Por isso, é importante pesquisar o mercado, falar com possíveis fornecedores, entender sobre clientes em potencial e sobre os diferenciais de seus concorrentes. Vamos supor que você tenha obtido excelentes resultados com sua pesquisa e que, sim, o negócio tem muita chance de dar certo, é importante ter uma previsão do tempo que vai levar para que isso aconteça. 

Entender sobre a rentabilidade do seu negócio é crucial para não se perder na largada. Vamos imaginar algo bem simples: você pegou um empréstimo de R$ 10.000,00 para pagar em 10 meses, prazo máximo para quitação da dívida com a menor taxa de juros possível. Você precisa ter uma rentabilidade mensal que dê conta de pagar os custos fixos e variáveis da sua empresa, incluindo o empréstimo. De preferência, que sobre um dinheiro para capital de giro. 

Se, por meio de suas pesquisas, você descobrir que seu negócio vai precisar de mais tempo para ter bons resultados, talvez não valha a pena fazer um empréstimo, pelo menos neste momento. Uma opção é começar com um negócio menor e, assim que for obtendo o retorno financeiro necessário, investir em algo de maior porte. Guardar dinheiro e buscar sócios ou investidores também servem como sugestões. 

O importante, aqui, é saber em que terreno está pisando e com a maior precisão possível. Por isso que o planejamento é essencial.  

Caso você tenha verificado que, sim, é possível pegar um empréstimo, a dica é que as parcelas do empréstimo representem de 20% a 25% do lucro líquido da sua empresa. 

Conheça, a seguir, os vários tipos de empréstimos oferecidos por instituições financeiras e saiba qual pode ser mais adequado ao seu negócio.

Como escolher o empréstimo?

No geral, os empréstimos são diferenciados pelo seguinte:

  • Taxas de juros
  • Condições
  • Valores
  • Regras específicas

Conheça 6 tipos de empréstimos disponíveis para ter boas condições de escolher o que mais diz respeito ao seu negócio.

  1. Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é o que apresenta a menor taxa de juros do mercado. Por isso talvez seja o mais atraente de todos, com a opção de pagamento da dívida em até 72 meses, ou seja, você tem até 6 anos para pagar o que pegou emprestado.

E a forma de pagamento também é bem simples. O empréstimo consignado pode ser pago por parcelas descontadas do holerite ou da aposentadoria.

Acha que este tipo de empréstimo é perfeito para você?

Pode até ser, mas isso vai depender de quem você é.

Você só pode fazer um empréstimo consignado se for pensionista ou aposentado pelo INSS, funcionário público ou funcionário de instituições privadas que oferecem este tipo de empréstimo. 

  1. Empréstimo pessoal

Se você não se encaixou no perfil acima, o empréstimo pessoal também é uma ótima opção. 

Quais são as vantagens deste tipo de empréstimo?

A que mais agrada a nós, brasileiros, é o fato de ter pouca burocracia, podendo ser solicitado online, inclusive. Portanto, se você estiver precisando de dinheiro com uma certa urgência, esta linha de crédito pode ser o que você procura.

OK, e as desvantagens? Obviamente tem algo que vai pegar. 

A desvantagem são as taxas de juros, que tendem a ser muito altas, em comparação com outras linhas de crédito. Se esse for um ponto crítico para você, siga para outra linha de crédito.

Se servir de consolo, você vai pagar menos taxas de juros fazendo este empréstimo do que usando o rotativo do cartão de crédito ou o cheque especial. 

  1. Empréstimo factoring

Neste tipo de empréstimo, você usa seu capital de giro para receber, à vista, o que vendeu, a prazo. Neste sentido, é um tipo de empréstimo bastante seguro, porque o dinheiro vai entrar.

Vale, especialmente, para empresas que:

  • Comercializam produtos ou serviços de valor mais alto e recebem o valor a prazo ou com cheques pré-datados
  • Realizam a compra de matéria-prima com bastante frequência

Muitas empresas que trabalham com o factoring, oferecem aos clientes seus descontos em mensalidades quando pagas com cheques pré-datados.

  1. Empréstimo com garantia

O empréstimo com garantia também está entre as menores taxas de juros do mercado. E mais: geralmente este tipo de empréstimo pode ser pago em até 240 meses. Sim, 20 anos. 

Sabe dizer por quê?

Justamente pela garantia que você oferece à instituição financeira para obter a linha de crédito. Como garantia, você pode colocar seu veículo ou imóvel. Mas só se você tiver um dos dois que esteja de acordo com os critérios da garantia. Caso contrário, o empréstimo com garantia não pode ser solicitado. O maior risco de fazer este tipo de empréstimo é não ter condições de quitar a dívida e acabar perdendo o seu bem material, colocado como garantia. 

Esse tipo de empréstimo pode ser um bom negócio, se você for organizado e atento ao pagamento das parcelas, pois com um período tão longo para quitar a dívida, é fácil se perder no meio do caminho.

  1. Cartão BNDES

Até aqui, falamos de restrições relativas ao perfil e, no último caso, da necessidade de possuir um bem material para conseguir um empréstimo. No caso do Cartão BNDES, a restrição é outra. 

Este tipo de empréstimo é voltado, especificamente, para a compra de móveis. Neste sentido, vale para a abertura, reformas e ampliação de sua empresa. 

Lembra que falamos sobre a possibilidade de abrir um negócio de menor porte e, depois, construir algo maior? Pois este tipo de empréstimo pode servir como uma excelente oportunidade de crescimento.

Outras vantagens?

Taxas de juros mais baixas e prazo de 48 meses para quitar a dívida.

Desvantagem?

Talvez aqui entre como mais uma restrição: por ser fornecido por bancos, para conseguir este tipo de empréstimo, você precisa ter um relacionamento pré-existente com o banco em questão. Mais uma restrição, ou possibilidade, de acordo com o perfil.

Encontrou alguma linha de crédito condizente com o seu negócio? Ainda não? Então, dê uma olhada nesta última opção. 

  1. Microcrédito

Se seu problema for pouco dinheiro para começar, este tipo de empréstimo foi bolado exatamente para você. 

Nesta linha de crédito, não há restrição quanto ao perfil. Ao contrário. Você pode solicitar o microcrédito sendo Pessoa Jurídica, ou seja, tendo um CNPJ ou enquanto Pessoa Física. Serve para pequenos negócios feitos na própria residência. 

Como era de se esperar, este tipo de empréstimo, concedido por instituições conveniadas, apresenta taxas de juros baixas. O único porém, aqui, é o prazo para quitação da dívida: geralmente, de 24 meses.

Por isso, antes de finalizar, retomamos aquele princípio básico: se você decidir por um empréstimo, não esqueça de inserir o valor desta dívida, parcelado, na sua planilha financeira ou onde você controla seus gastos e ganhos. E, é claro, não esqueça de pagar o que você recebeu. 

Saiba mais:

Você também pode gostar

Deixe um comentário