Saiba tudo sobre o profissional liberal

26 minutos para ler

Quer saber tudo sobre o profissional liberal em um texto só? Então, você chegou ao lugar certo. 

Aqui você vai entender:

  • O que é um profissional liberal
  • Dicas para fazer um bom trabalho
  • Vantagens e desvantagens
  • Como fazer seu marketing
  • O que o futuro reserva
  • Obrigações e direitos, e mais

Então, vamos lá?

O mercado de trabalho nunca esteve tão aberto. Isso quer dizer que as pessoas estão tendo mais liberdade para trabalhar com o que gostam, sem necessariamente ter que passar por um caminho que, no tempo dos nossos avós, já estava determinado: fazer na faculdade para conseguir um emprego com carteira assinada e ficar lá até a aposentadoria. Algo mais ou menos assim, não é mesmo?

Mas coisas mudaram. As pessoas não estão mais querendo viver vidas pacatas ou os sonhos dos pais. Querem atuar com o que gostam, pois, sabem que trabalhar por trabalhar pode ser muito desgastante e trazer problemas graves à saúde mental. 

O mesmo vale para o trabalho com uma carga horário excessiva, com um gestor que nem sempre está apto para construir um ambiente de trabalho favorável para todos. 

Por isso, muita gente está querendo trabalhar como profissional liberal. 

Mas o que quer dizer isso? Ou melhor, quão liberal a coisa pode ser?

O que é um profissional liberal?

Em termos gerais, o profissional liberal é um trabalhador que pode exercer sua profissão com liberdade e autonomia. Assim, este tipo de profissional tem mais condições, digamos assim, de escolher a maneira como quer trabalhar. Mas isso não quer dizer que o profissional liberal esteja desvinculado de qualquer amarra com o sistema, o que é uma boa coisa. 

Veja porquê: 

O que é preciso ser para atuar como profissional liberal?

Diferentemente de alguém que queira trabalhar por conta própria, sem nenhuma formação, que pode penar muito mais no mercado de trabalho até ser reconhecido como competente no que faz, para ser profissional liberal você precisa:

  • Ter uma formação técnica regulamentada ou fiscalizada pela entidade de classe  
  • Estar registrado no conselho profissional
  • Contribuir com o sindicato da categoria

Vamos imaginar que você sempre quis ser um advogado, mas não para trabalhar para os outros, com vínculo empregatício, seus ônus e bônus, ou em instituições que só estão atrás de lucro. Você quer abrir seu próprio negócio, para trabalhar com consultoria e em projetos sociais. 

Para tanto, você precisa estar registrado no conselho profissional dos advogados, a OAB. Isso é importante porque os conselhos profissionais são responsáveis pela definição dos procedimentos técnicos e éticos de cada profissão, além de regularizar e fiscalizar as atividades exercidas pelos profissionais.

E por que isso é importante? Porque sem regras, tudo ficaria uma bagunça e muita gente poderia tirar proveito da situação. Por ter autonomia para trabalhar e exercer suas atividades, os profissionais liberais precisam seguir as regras do jogo. Caso contrário, podem responder cível e até criminalmente por seus atos. 

Parece que o profissional liberal não é tão livre assim, certo? Certo. E isso é uma coisa boa quando pensamos na quantidade de gente procurando boas oportunidades de trabalho.

O profissional liberal se destaca no mercado por ser alguém com conhecimento específico na área e vinculado ao conselho de classe, o que confere a ele um maior grau de confiança do que alguém que trabalhe por conta própria, totalmente desvinculado. 

Sim, existe esta categoria de profissionais. São os profissionais autônomos.
Vamos ver qual a diferença entre os profissionais liberais, os autônomos e os MEI.

Qual a diferença entre profissional autônomo, profissional liberal e MEI?

Há muita confusão entre essas três categorias profissionais, principalmente pelo que elas têm em comum: 

  • Trabalho independente
  • Empreendedorismo
  • Independência financeira

Esses termos marcam o mercado de trabalho quando suscitam a ideia de poder trabalhar por conta própria. Quem não sonha em fazer o que gosta, estipular o próprio horário de trabalho e não precisar prestar contas a mais ninguém? 

Essas são as vantagens possibilitadas por essas três maneiras de atuar no mercado de trabalho. Mas isso vai depender do que você faz. 

No caso do advogado citado acima, sabemos que ele pode ser um profissional liberal, mas será que ele também pode ser MEI ou profissional autônomo? E uma manicure?

Vamos conhecer, a seguir, as diferenças entre essas categorias.

Profissional liberal 

Já vimos que o profissional liberal precisa ter uma formação e um registro profissional para atuar no seu ramo. É o caso do advogado. O destaque, aqui, é que o profissional liberal pode ter vínculo empregatício, se assim desejar.

Quanto ao pagamento de impostos, o profissional liberal tem duas opções:

  • Abrir uma microempresa (ME) ou uma empresa de pequeno porte (EPP), para ter direito a um CNPJ.
  • Prestar serviços como pessoa física, por meio do CPF.

E uma informação importante: por exercer atividade intelectual, o profissional liberal não pode ser MEI.

Profissional autônomo

Podemos dizer que o profissional autônomo é o mais livre de todos. 

Livre no sentido de:

  • Não precisar de uma qualificação profissional, nem de ensino superior
  • Não possuir vínculo empregatício

Por isso, autônomo. É o profissional mais afastado do sistema, o que tem suas vantagens e desvantagens. 

De acordo com a legislação trabalhista, o profissional autônomo:

  • Não recebe benefícios propiciados pela CLT, como férias remuneradas ou 13º salário
  • Pode contribuir para a previdência, visando à aposentadoria e seguros
  • Pode fazer a declaração anual do imposto de renda como pessoa física, usando a mesma tabela dos trabalhadores no regime CLT

A liberdade também tem seu preço. O profissional autônomo precisa se virar mais sozinho se quiser garantir uma aposentadoria no futuro.

Uma manicure pode atuar como autônoma, assim como um fotógrafo ou professor, entre outros profissionais. No entanto, para economizar nos impostos, é mais vantajoso trabalhar como MEI. 

MEI

MEI significa microempreendedor individual e existe justamente para formalizar a situação dos profissionais autônomos, garantindo a eles:

  • Redução de carga tributária
  • Acesso fácil e rápido ao CNPJ

Mas qual a vantagem de ter um CNPJ?

Vamos supor que a manicure da qual falávamos antes resolveu se cadastrar no portal do governo para fazer um MEI, porque ela pretende abrir um salão pequeno, ao lado da sua casa. O cadastro é simples e sem burocracias. 

E tem mais: ela só vai precisar pagar uma contribuição mensal de R$ 60,00, pelo chamado DAS MEI, que inclui todos os impostos, para ter acesso a crédito e emissão de nota fiscal, por exemplo.

O MEI foi criado em 2008 justamente com esta proposta: regularizar o profissional autônomo para trabalhar com menos burocracia e mais segurança. 

Qualquer profissional pode ser MEI?

Sim, desde que:

  • Exerça uma atividade que conste na classificação nacional de atividades econômicas (CNAE)
  • Ganhe até R$ 81.000,00 por ano
  • Não tenha outra empresa no seu nome, nem sócios 
  • Tenha, no máximo, 1 funcionário

Apesar de parecer a mesma coisa, essas categorias são muito diferentes entre si e a escolha de onde se encaixar vai depender da sua profissão e de como você quer atuar. 

Se você já fez faculdade, estudou muito para investir num futuro promissor, vale a pena se direcionar para a categoria dos profissionais liberais. 

“Posso ser formado em qualquer área para me encaixar na categoria dos profissionais liberais?” Não necessariamente.

Veja, a seguir, as profissões que podem ser liberais.

Quais tipos de profissões podem ser liberais?

Segue a lista de quem pode atuar como profissional liberal, de acordo com a Confederação Nacional dos Profissionais Liberais (CNPL), referência dos direitos e deveres dos profissionais liberais no Brasil:

  • ADMINISTRADORES
  • GEÓLOGOS
  • ADVOGADOS
  • JORNALISTAS
  • AGRÔNOMOS
  • LEILOEIROS
  • ARQUITETOS
  • MÉDICOS
  • ARQUIVISTAS
  • MÉDICOS VETERINÁRIOS 
  • ARTISTAS
  • MUSEÓLOGOS
  • ATORES
  • MÚSICOS
  • ATUÁRIOS
  • NUTRICIONISTAS 
  • AUTORES TEATRAIS
  • OCEANÓGRAFOS 
  • BACHARÉIS EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO
  • ODONTOLOGISTAS 
  • BIBLIOTECÁRIOS
  • PARTEIRAS
  • BIÓLOGOS
  • PROFESSORES (PARTICULARES) 
  • BIOMÉDICOS
  • PROFISSIONAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
  • CENÓGRAFOS
  • PROTÉTICOS DENTÁRIOS 
  • COMPOSITORES ARTÍSTICOS MUSICAIS E PLÁSTICOS
  • PSICÓLOGOS
  • CONTADORES PUBLICITÁRIOS
  • CORRETORES DE IMÓVEIS
  • QUÍMICOS
  • ECONOMISTAS
  • RELAÇÕES PÚBLICAS 
  • EDUCADORES FÍSICOS
  • SOCIÓLOGOS
  • ENFERMEIROS
  • TÉCNICO EM INFORMÁTICA 
  • ENGENHEIROS
  • TÉCNICOS AGRÍCOLAS 
  • ENÓLOGOS
  • TÉCNICOS EM CONTABILIDADE 
  • ESCRITORES
  • TÉCNICOS EM RADIOLOGIA 
  • ESTATÍSTICOS
  • TÉCNICOS INDUSTRIAIS 
  • FARMACÊUTICOS
  • TECNÓLOGOS
  • FISIOTERAPEUTAS
  • TERAPEUTAS OCUPACIONAIS 
  • FONOAUDIÓLOGOS
  • TRADUTORES 
  • FOTÓGRAFOS
  • ZOOTECNISTAS

São mais de 50 profissões. Portanto, se você tiver formação técnica em alguma dessas áreas de conhecimento e quiser mudar de vida, dar um upgrade na sua renda ou começar com o pé direito no trabalho liberal, veja quais são as vantagens e desvantagens em atuar como um profissional liberal.  

Por que ser um profissional liberal?

Em uma outra situação, de um fotógrafo recém-formado que, ao invés de ter que ficar 8 horas do seu dia trabalhando em uma emissora de TV, sempre sonhou em viajar pelo mundo e registrar imagens pouco conhecidas. Por isso, quer saber sobre as vantagens em se tornar um profissional liberal. Nesse caso: 

  • Ele não vai precisar apenas tirar fotos para acompanhar as matérias em destaque, ou seja, seguir o que está sendo determinado pela empresa em que trabalha e pela hierarquia nela instituída. 
  • Vai ter flexibilidade de horário, ou seja, vai trabalhar nas horas que são melhores para ele. Isso vai demandar estar atento aos prazos de envio de material aos clientes, por exemplo, ou aos dias em que decidiu postar fotos novas no seu site. Mas, com certeza, vai conseguir conciliar melhor seu tempo de trabalho com o tempo livre.
  • Não vai precisar ficar atrás de vagas de emprego, o que pode causar muita ansiedade.
  • Vai poder ganhar mais dinheiro do que se estivesse trabalhando em regime CLT. Isso, é claro, vai depender da sua produtividade, da rede de clientes, etc.

Assim como há inúmeras vantagens trazidas pela liberdade e autonomia próprias do profissional liberal, também há desvantagens. 

Vamos conhecer algumas delas.

Por que não ser um profissional liberal?

Se você não sabe lidar com as surpresas e inseguranças da vida, talvez não seja uma boa ideia ser um profissional liberal. Voltamos ao primeiro exemplo citado, do advogado que quer prestar consultoria e fazer trabalhos sociais. 

Agora, vamos acrescentar mais alguns dados sobre a sua vida: ele é casado, tem uma filha de 5 anos e está financiando um imóvel. 

Isso pode pesar muito para o lado das desvantagens em ser um profissional liberal.

Veja quais são elas:

  • Não ter uma renda mensal fixa e garantida
  • Se ele ficar doente ou sofrer um acidente, não poderá trabalhar, o que pode gerar dificuldade financeira
  • Ele vai precisar entender de marketing pessoal, para poder oferecer da melhor forma seus serviços
  • Ele vai precisar entender sobre o mercado e saber organizar a parte administrativa do seu negócio
  • Por fim, vai precisar entender das leis e exigência relacionadas ao exercício da profissão, pois mesmo sendo advogado, não quer dizer que ele entenda desta área específica

De certa forma, é como se fosse uma aposta, com um certo grau de risco. Antes de escolher ser um profissional liberal, é preciso entender bem do que se trata e medir os prós e contras. Também é interessante saber o que você quer para a sua vida, antes de mais nada, e se você tem perfil para encarar o desafio.

Direitos dos profissionais liberais

Vamos voltar para o caso do advogado que resolveu ser um profissional liberal para atuar em duas frentes: prestar consultoria e fazer trabalhos sociais.  

Vamos supor dois caminhos para este cidadão.
No primeiro, ele resolveu trabalhar como consultor em uma associação de advogados que atuam com causas sociais, ou seja, tornou-se um trabalhador com vínculo empregatício. 

Veja quais são os direitos do profissional liberal empregado:

  • Ter a carteira de trabalho assinada e anotada desde o primeiro dia de trabalho
  • Receber o salário mensal nunca inferior ao estabelecido pelo Sindicato da categoria
  • Ter, no mínimo, um dia de repouso na semana
  • Receber o 13º salário
  • Receber vale-transporte ou auxílio deslocamento relativo ao trajeto da casa ao trabalho e vice-versa
  • Receber férias de 30 dias a partir de 12 meses de trabalho a ser escolhido e concedido pelo empregador nos 12 meses seguintes
  • Receber o adicional de férias, ou seja, mais 1/3 do valor do salário até 2 dias antes do período de férias
  • Receber licença-maternidade de 120 dias e licença-paternidade de 5 dias, no mínimo, podendo chegar a 20 dias
  • Receber auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, se necessário, de acordo com a carência estipulada pelo INSS
  • Ter o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço)
  • Seguir uma jornada de trabalho fixa integral ou intermitente
  • Poder trabalhar em regime de home office, já regularizado
  • Remuneração por produtividade
  • Contratação sem regime de exclusividade, ou seja, dá para atuar na empresa e em um negócio próprio
  • Comprovação de que você é qualificado para atuar na área

Deu para perceber que o primeiro caminho oferece vários benefícios ao profissional liberal. E esses benefícios são direitos do trabalhador. Mas tem aí uma questão que faz toda a diferença: trabalhar com vínculo empregatício e todos os deveres embutidos. Coisa que muitos profissionais não querem mais fazer.

Sendo dono do negócio

Então, vamos imaginar que o advogado escolha outro caminho: abrir seu próprio negócio, sem ter que dar satisfação a mais ninguém além dele mesmo. 

Ao pesquisar o mercado, se deu conta de que existe alta demanda pelo que ele sabe fazer. Conclusão: a consultoria tem espaço garantido. Mas também percebeu que há muito trabalho a ser feito por apenas uma pessoa. Resolveu, então, abrir uma microempresa e contratar outro advogado para ajudar a dar conta da demanda. 

Neste caso, o advogado não é apenas um profissional liberal, mas é, também, um profissional liberal empregador. Isso quer dizer que ele precisa conceder direitos trabalhistas ao seu funcionário, depois de ter registrado a empresa ou sociedade. Portanto, terá que seguir a regulamentação que concerne à abertura de uma microempresa, entender sobre o regime tributário em que ela se enquadra, além de outros procedimentos. 

Ao abrir uma microempresa, o advogado pode ganhar até R$ 900 mil por ano, mas precisa saber lidar com os tributos e demais deveres. No caso, talvez seja uma boa ideia contratar os serviços de outro profissional liberal: o contador.  

Independentemente de qual caminho o advogado vai seguir, vale a pena pesquisar como está o mercado de trabalho no Brasil. 

Mas afinal, vale a pena atuar como um profissional liberal? 

O mercado para o profissional liberal e tendência para o futuro

Já vimos como está o mercado para os profissionais liberais. Com a pandemia do novo coronavírus, praticamente todo mundo teve que se adaptar ao novo mundo que incorporou, de vez, a tecnologia. 

Os profissionais liberais da área da saúde estão sendo requisitados pela crise da saúde mental e física decorrentes da vida em pandemia. Mas, para poder trabalhar e entregar seu valor, estes, assim como os professores, por exemplo, tiveram que aprender a usar o ambiente digital. 

Mas o que isso quer dizer?

Isso quer dizer que se você conseguir fazer uma rápida transformação digital em seu modelo de negócio, o futuro é promissor. O que tivemos que incorporar “à força”, provavelmente fará parte do nosso futuro, como: aulas híbridas, telemedicina, uso de apps e plataformas digitais e assim por diante.

Os profissionais liberais terão espaço para crescimento daqui adiante, desde que fiquem atentos ao que mudou no mundo e, com isso, mudem suas práticas.

É cada vez mais comum a busca por profissionais cadastrados em apps e plataformas digitais para prestação de serviço, como o GetNinjas.  Se desejar abrir uma empresa, é uma boa forma de contratar profissionais para a execução de serviços que você vai precisar. 

Vai aí um termo que se tornou clichê: reinvente-se! Se você é um dos profissionais liberais dos setores de beleza e perdeu muita clientela, vale lembrar que eles voltarão. Mas, para isso, você precisa estar na rede, ser lembrado:

  • Faça um planejamento adequado
  • Continue em contato com seus clientes de forma empática
  • Publique conteúdos
  • Crie autoridade no mercado

Se você ainda não faz isso, não se preocupe, porque logo mais você vai entender tudo sobre como fazer seu marketing digital. 

A grande vantagem do profissional liberal é a liberdade de escolher o caminho a seguir, tendo em vista as condições favoráveis e prevendo o que do futuro já aparece no presente.

Dicas para trabalhar como profissional liberal

Não é fácil decidir entre a carteira assinada, com garantias, e a flexibilidade de horários, liberdade e possibilidade de crescimento. Essa decisão tem a ver com o seu perfil, com a maneira que você quer viver sua vida profissional.

Então vamos imaginar que o fotógrafo, citado lá no início no texto, tenha conseguido um trabalho de freelancer em uma empresa com objetivo de poder continuar viajando. No caso, ele recebe por entregas. 

Com isso, ele faz o que gosta ao mesmo tempo em que cumpre com suas obrigações. Conseguiu o que muita gente sonha em ter: 

  • Flexibilidade de horário
  • Liberdade para tomar suas próprias decisões
  • Possibilidade de crescimento

Mas, para manter as coisas fluindo, confira nossas dicas.

Saiba organizar seu tempo

Como você é responsável pelos seus horários e pelo manejo do seu tempo, faça um planejamento de suas atividades diárias, semanais, mensais e anuais. Para te ajudar com isso, utilize uma ferramenta de planejamento. Aliás, existem várias ferramentas de gestão disponíveis para uso, algumas online. Você vai conhecer algumas delas logo mais. 

Divida as tarefas

Como profissional liberal, você provavelmente vai ter muita coisa diferente para fazer, como: 

  • Atender clientes 
  • Comprar materiais 
  • Comprar passagens para as viagens
  • Reservar hotel
  • Cuidar das finanças 
  • Vender seu produto

Esses são exemplos de tarefas a serem executadas. Não se sinta pressionado a fazer tudo sozinho. Às vezes não damos conta da demanda. Por isso, a dica é contratar alguém para te ajudar e dividir as tarefas, sem medo. Depois, é só acompanhar o andamento das coisas. 

Saiba colocar preço no seu produto

As pessoas geralmente têm dificuldade em cobrar ou colocar preços no que elas produzem. Às vezes, por não terem uma noção dos preços praticados no mercado ou por não saberem valorizar o que fazem. 

É importante saber quanto cobrar para não ficar no prejuízo, por isso:

  • Veja se vai cobrar por hora ou pelo produto
  • Estude o mercado, analise as vantagens e desvantagens e o valor agregado
  • Saiba exatamente quais são seus custos, tanto os fixos, como os variáveis 
  • Agregue valor ao vínculo estabelecido com seu cliente

Registrar seus gastos e ganhos é essencial para a manutenção do seu negócio e para a garantia de uma margem de lucro, o que está diretamente ligado à próxima dica.

Fique atento ao fluxo de caixa

Controlar a gestão financeira é ponto chave para trabalhar como profissional liberal, pois é o que vai garantir a estabilidade às suas finanças.

No fluxo de caixa, você vai registrar as datas e os valores das entradas e saídas de dinheiro. É importante que você faça esse registro diariamente e possa verificar se está tudo bem uma vez por semana ou, ainda, uma vez ao mês.

O fluxo de caixa vai te ajudar no planejamento financeiro do seu negócio e garantir que você tenha uma reserva em caixa para eventuais emergências. Também vai possibilitar que você invista faça investimentos quando tiver uma boa margem de lucro. 

Saiba lidar com inadimplência

Mais um assunto financeiro. Para fechar um serviço, muitas vezes negociamos a forma de pagamento ou oferecemos alguns benefícios, mas isso não garante muita coisa. 

Já pensou no que fazer quando o cliente não pagou o que devia?

Algumas dicas para que isso não aconteça ou aconteça de forma mais contornável, digamos assim:

  • Elabore contratos com datas de pagamento e estimule o pagamento antecipado ou à vista
  • Converse com seu cliente para negociar os valores pendentes, de forma educada, para manter uma relação cordial
  • Tente não fazer cobranças em horários descabidos

Nunca se sabe o que está acontecendo com o cliente. Por isso, enquanto profissional, sempre vale uma postura correta.

Faça seu marketing profissional

Nem todo mundo sabe lidar com o ambiente digital e é justamente nele que as pessoas vão te achar. São poucas as pessoas que não utilizam o Google para fazer suas pesquisas. Neste sentido, o marketing digital é a melhor forma de conseguir novos clientes. 

Publique conteúdos na Internet para que as pessoas possam te encontrar, curtir teu trabalho, te contratar ou até mesmo te indicar para outras pessoas.

Se você não tem um blog, um perfil no Instagram, ou vídeos no YouTube para mostrar seus trabalhos, por exemplo, é possível contratar um profissional de marketing digital para te ajudar.

Fique de olho no mercado

Assim como fazer seu marketing na rede, é importante ficar atento ao que acontece no mercado. Algum concorrente lançou uma ideia que deu certo, como uma exposição de fotos em um lugar inusitado? Muita gente interessada na questão do desmatamento? Vale a pena acompanhar esses indicadores para ter boas chances de crescimento. 

Quer saber um pouco mais sobre como fazer seu marketing digital? Então, vamos lá.

Como vender seu serviço como profissional liberal?

Vamos aprofundar um pouco mais a estratégia de marketing que o profissional liberal pode utilizar para empreender seu negócio e se mostrar no mundo.

Sim, porque hoje em dia, com tanta concorrência, para aparecer no mercado, é preciso que as pessoas saibam que você exista e vejam o que você faz de melhor.

Mas isso não quer dizer fazer qualquer coisa e aparecer a todo o momento. 

O profissional liberal deve seguir as regulamentações relativas ao marketing estipuladas pelo seu conselho profissional.

O advogado, de acordo com o Código de Ética da OAB, pode produzir e publicar textos com o intuito de explicar conteúdos legais. Mas não pode fazer propaganda na TV, nem no rádio. 

Estando ciente do que você pode ou não pode fazer, de acordo com sua categoria profissional, veja as dicas de como empreender pelo marketing digital.

Planeje suas ações

Antes de publicar alguma informação ou conteúdo, saiba o que você quer com isso. Por exemplo, publicar um texto sobre a importância de conhecer os direitos trabalhistas pode atrair novos clientes.

Publique conteúdo

Por ter formação na área de conhecimento em que atua, mostrar o que você sabe pode te colocar num lugar de referência. Os conteúdos podem ser em formato de texto, vídeo ou áudio, conforme o planejamento de suas ações, seu perfil e público-alvo. 

Selecione seu público

Além de saber o que vai produzir de conteúdo e porquê, é importante saber a quem você quer se direcionar. Busque entender o que seus clientes em potencial necessitam, desejam, como se comportam e como percebem as coisas. 

Abra um canal de venda

Vamos supor que você já tenha feito os passos anteriores: 

  • Planejado suas ações
  • Pesquisado sobre o público-alvo
  • Publicado conteúdo

Agora, é fundamental ter um canal de contato com o cliente para que ele possa acionar teu serviço. Nada muito complexo. 

Analise os dados

Para saber se sua estratégia está indo bem, é importante acompanhar e analisar os dados, ou seja, como as pessoas estão interagindo com suas publicações. E aí não basta só acompanhar visualizações ou curtidas. 

Também é interessante – e possível – ter acesso:

  • À jornada de quem visualizou a página, ou seja, o que ele leu e o que não leu
  • Número de pessoas que entraram em contato
    Número de vendas 

Tem gente que trabalha só com isso e que pode te ajudar a obter uma visão mais apurada da sua estratégia. 

Ferramentas de gestão para trabalhar como profissional liberal

Já deu para entender que a vida de um profissional liberal não é tão fácil assim, principalmente por ter muitas coisas para administrar.

Por esse motivo, vale a pena conhecer algumas das ferramentas de gestão disponíveis online para facilitar esse trabalho. Afinal, quase tudo pode ser feito online hoje em dia, outro facilitador.

Google Drive: armazenamento na nuvem

Basta ter uma conta no Google para acessar, gratuitamente, sua nuvem. Nela, é possível salvar documentos, projetos, recibos, ou seja, todas as informações que você precisa guardar. Aproveite para separar os arquivos em pastas e deixar tudo organizado para agilizar na hora de buscar o que você quer. 

Como a nuvem é um local de armazenamento sincronizado com seu computador ou smartphone, ao inserir informações novas nos seus documentos, elas são automaticamente salvas na nuvem. Isso garante segurança e agilidade na sua rotina. Você acessa esses documentos de qualquer dispositivo, desde que logado na sua conta. O único porém é o limite de espaço em sua versão gratuita, mas, a não ser que você trabalhe com algo que precisa de muito espaço de armazenamento, não vai ter problemas. Se for o caso, dá para pagar um valor para aumentar o espaço. 

MailChimp: lista de contatos

Podemos pensar que uma lista de contatos vale mais do que ouro, ou do que a busca por ouro representou em outros tempos. O MailChimp é uma ferramenta que automatiza o envio de e-mails aos seus contatos, permitindo o fácil compartilhamento de conteúdos importantes, além de oferecer métricas sobre as mensagens enviadas.
O que quer dizer isso?

Bom, que além de disseminar os conteúdos que você está produzindo com tamanha dedicação, o que pode resultar em novos clientes e mais vendas, você vai conseguir saber como seus contatos estão reagindo às suas mensagens. 

Lembra da análise de dados, comentada na seção anterior? Pois é isso que essa ferramenta apresenta: quem abriu a mensagem, quem clicou nos links ou botões, quais mensagens foram mais acessadas, quais foram pouco acessadas e por aí adiante.

Além de ser online, a versão gratuita permite até 2.000 contatos na sua lista e o envio de até 12.000 mensagens mensais. 

QuickBooks ZeroPaper: finanças

Lembra do que falamos sobre a importância do gerenciamento das finanças e do fluxo de caixa? 

Esta ferramenta foi feita para: 

  • Controlar as receitas e despesas, sem ter que lidar com planilhas 
  • Importar extratos bancários
  • Emitir boletos
  • Controlar pagamento de impostos

Além de serem disponibilizadas online, essas 3 ferramentas são gratuitas. 

Estão na mão. Aproveite!

E já que estamos falando de como podemos nos favorecer usando a Internet, precisamos no atentar com a proteção de nossos dados pessoais.
Já ouviu falar na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)?

Entenda sua importância e como fazer para estar de acordo com ela.

Como se adequar à LGPD?

A LGPD entrou em vigor no Brasil em setembro de 2020. Ela serve para proteger os dados dos cidadãos, muito em função do mau uso ou vazamento desses dados. 

Quem nunca foi importunado por ligações ou mensagens frequentes de vendedores? Ou sofreu fraudes por quem se diz ser dono dos seus dados pessoais? Pois, muitos clientes estão de olho nisso e mais preocupados com o fornecimento e tratamento de seus dados pessoais. 

Então, se você está pensando em abrir uma MEI, enquanto profissional liberal, cuide dos dados pessoais de seus clientes. Eles valem ouro, lembra?

Dicas de como fazer isso:

  • Saiba como funciona o fluxo de informações na sua empresa: como são coletados os dados, quais dados são coletados, quais são usados e onde estão armazenados. 
  • Colete apenas dados necessários para o seu negócio: não faz sentido perguntar sobre a religião de uma pessoa, se o seu objetivo for oferecer consultoria sobre o meio ambiente.
  • Mantenha os dados apenas pelo tempo necessário: se não há mais necessidade de manter aqueles dados, desvincule-os de seu dono. É importante deixar isso claro, desde o início da relação com seu cliente. 
  • Seja transparente quanto ao uso dos dados: independentemente do local de coleta dos dados, como páginas da internet, e-mails ou WhatsApp, diga qual tecnologia está sendo usada, por quê, por quanto tempo os dados serão usados e abra campos para edição pelo próprio usuário. Você também deve oferecer acesso à política de privacidade de sua empresa. 
  • Abra um canal de comunicação com clientes e demais usuários exclusivamente sobre questões relativas a isso
  • Se houver vazamento de dados, informe os titulares e a autoridade nacional, com o máximo de informações possíveis: quais foram os dados, riscos e o que está sendo feito para resolver o problema

Para te ajudar a garantir a segurança dos dados de seus clientes, a LGDP criou um documento chamado Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais. Basta solicitá-lo à autoridade nacional. 

FAQ 

Quais os tributos pagos?

O profissional liberal precisar pagar o Imposto de Renda (IR), o INSS, o PIS e o ISS. Se estiver trabalhando com vínculo empregatício, o INSS fica por conta do empregador. 

Tem direito a FGTS?

Sim, quando estiver trabalhando com vínculo empregatício. 

Como é a contratação nas empresas?

O profissional liberal pode ser contratado de forma autônoma ou com vínculo empregatício. No primeiro caso, ele vai prestar serviços e emitir notas fiscais relativas a eles. No segundo, a contratação será por CLT.

Como conseguir clientes?

Hoje em dia, a melhor maneira de conseguir clientes é fazendo um bom marketing digital. Afinal, o mundo está na rede. 

Como emitir nota fiscal?

O profissional liberal pode emitir Notas Fiscais de Serviço Eletrônica (NFS-e). Para isso, deve entrar no site da prefeitura, clicar na área de emissão de notas fiscais, preencher os campos necessários e conferir se estão preenchidos corretamente. 

Você também pode gostar

Deixe um comentário